Revista internacional de Física repercute trabalho de pesquisador da UNIFAL-MG

Current Size: 100%

Versão para impressãoEnviar por email
Confira do que se trata o artigo de autoria do professor Fernando Gardim

A Physical Review C, uma das mais antigas e mais respeitadas revistas científicas que publica pesquisas relacionadas à Física, destacou artigo desenvolvido pelo professor Fernando Gonçalves Gardim, do Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFAL-MG, em parceria com Frederique Grassi (USP), Matthew Luzum (USP) e Jacquelyn Noronha-Hostler (University of Houston-USA).

Trata-se da pesquisa "Hydrodynamic predictions for mixed harmonic correlations in 200 GeV Au+Au collisions" que apresenta o estudo das correlações dos coeficientes de Fourier, técnica chamada de "Mixed Harmonic Correlations", com algumas previsões para o Relativistic Heavy Ion Collider (RHIC) utilizando um modelo extensivamente testado pelos autores, além de apresentar detalhes de como fazer previsões que sigam de perto as condições experimentais.

Explicando a pesquisa, o professor Fernando remonta a história da origem do Universo, e diz que logo após o Big Bang, a matéria existente era composta por uma mistura de partículas elementares em um estado quente e denso (Plasma de Quarks e Glúons), que esfriou após a expansão do Universo, e esta pode ser criada em laboratório acelerando núcleos até perto da velocidade da luz, fazendo-os colidir em máquinas como o  Relativistic Heavy Ion Collider (RHIC) no Brookhaven National Lab nos Estados Unidos e o Large Hadron Collider (LHC) no CERN na Suíça. “Em cada colisão, uma minúscula quantidade desta matéria do início do Universo é criada, expandindo-se e esfriando-se, até criar prótons, neutrons, e outras partículas”, esclarece.

Conforme o pesquisador, uma das maneiras de investigar estas colisões é medir a distribuição angular de partículas criadas, que pode ser decomposta matematicamente em uma série de Fourier, onde os coeficientes de Fourier trazem informações sobre o estado inicial do Plasma de Quarks e Glúons. “Já aprendemos que ele comporta-se como um líquido, sendo o mais perfeito líquido já criado em laboratório. Estudar como os coeficientes de Fourier estão correlacionados, traz informações sobre as propriedades iniciais da matéria em cada colisão, e como esta responde à expansão  hidrodinâmica”, enfatiza.

No artigo, os autores apontam que qualquer desvio dos dados em relação às previsões em máquinas como o  Relativistic Heavy Ion Collider trará informações importantes e não triviais sobre o estado inicial numa colisão e/ou as propriedades do meio criado.

O trabalho foi divulgado na edição número 95 da revista, publicada no dia 01/03.

Confira aqui!