Campus Poços de Caldas inicia Roda de Terapia Comunitária Integrativa

Current Size: 100%

Versão para impressãoEnviar por email
Projeto contribui para criar um espaço de identificação com a partilha de experiências

O campus Poços de Caldas da UNIFAL-MG promoveu na semana passada, o primeiro encontro do projeto de extensão "Roda de Terapia Comunitária Integrativa (TCI): espaço de partilha e promoção de saúde", que já vem sendo promovido pela Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (Prace) na sede.

Conforme a responsável pelo projeto em Poços, a psicóloga Rosana Tavares, a ideia surgiu a partir da aceitação da proposta pelos estudantes do campus, que participaram de uma Roda de Terapia Comunitária em Alfenas no mês de abril.

"Os alunos do Campus Avançado de Poços de Caldas deram um salto de qualidade em seu tempo livre, partilhando experiências, expectativas, soluções, conquistas, num clima de descontração que envolveu  ingressantes e veteranos", conta a psicóloga.

O encontro aconteceu na tarde do dia 03/05, oportunidade em que foram sugeridos pelos participantes seis temas e escolhido um para discussão. "Os diversos olhares e diferentes experiências fizeram toda a diferença na abordagem da temática", enfatiza Rosana.

Conforme divulgado pela Assessoria de Comunicação Social na notícia "Práticas integrativas amenizam inquietações e angústias na vida universitária", o projeto Roda de Terapia Comunitária Integrativa (TCI) é um espaço de partilha de experiências de vida, inquietações, angústias e conquistas, cuja prioridade é o acolhimento, respeito e inclusão. “A TCI é uma prática baseada em cinco pilares teóricos: pedagogia de Paulo Freire, resiliência, comunicação, pensamento sistêmico e antropologia cultural”, explicou a coordenadora do projeto na sede, Vânia Regina Bressan, pró-reitora adjunta de Assuntos Comunitários e Estudantil.

Conforme a proposta do projeto, os participantes passam pelo momento do acolhimento, escolhem um tema para conversar naquele dia, contextualizam, problematizam ou partilham as experiências e em seguida, acontece o encerramento. “Para que a roda ocorra em ambiente de confiança e respeito, seguimos algumas regras: escutar quando o outro fala; falar de si utilizando a primeira pessoa ‘eu’; não julgar, não dar conselhos, não fazer análises, sermões, interpretações e em qualquer momento da roda, que o participante lembrar de uma música, poesia, provérbio, piada, que lembre o tema que está sendo discutido, pode interromper e se expressar”, detalha Vânia.

A experiência tem sido positiva em Alfenas e de acordo com Rosana, a primeira roda realizada no campus Poços de Caldas também promote contribuir para o bem-estar da comunidade participante. "Ver os alunos ocupando lugares de fala e/ou escuta qualificada, podendo ressignificar suas experiências e buscar melhorias em seu cotidiano é algo que os engrandece tanto pessoal como profissionalmente", comentou.

Relatando impressões nesse primeiro encontro, uma das participantes das rodas disse: "Quando a pessoa falou, eu percebi que aquilo também me incomodava no dia a dia". Segundo a psicóloga, tomar consciência das potencialidades ou dificuldades é essencial para que as mudanças que se almeja por mais simples que sejam, aconteçam. "Escrevemos nosso nome na história quando fazemos algo diferente e esses alunos fazem isso ao deixar o espaço individualizado ou de grupos conhecidos para experimentar novos lugares, olhares e possibilidades", afirmou.

As rodas de terapia comunitária integrativa acontecem no campus Poços de Caldas às quartas-feiras, às 18h, na sala B-206. A atividade é aberta para participação de servidores e também membros da comunidade externa. Em Alfenas, os encontros são às terças-feiras, às 17h, na sala R-107. Não é necessária inscrição prévia.

Com informações e foto: Rosana Elizete Tavares, psicóloga do campus Poços de Caldas