“Terra da Gente” apresenta a natureza sob o olhar de estudante da UNIFAL-MG

Current Size: 100%

Versão para impressãoEnviar por email
Portal do programa destacou registros fotográficos do aluno Rafael Menegucci

O portal do programa Terra da Gente, desenvolvido pela emissora EPTV, vinculada à Globo, divulgou no mês de janeiro, uma reportagem sobre as fotografias feitas da natureza, pelo estudante da UNIFAL-MG, Rafael Costabile Menegucci, do 8º período do curso de Ciências Biológicas (Bacharelado).  

Conforme a matéria, há dois anos, Rafael faz saídas mensais em busca de dados para suas pesquisas em desenvolvimento, oportunidades em que não deixa de levar o equipamento fotográfico. “A câmera está sempre pendurada no pescoço, preparada para os registros”, conta na reportagem.

O estudante relata também que sua preocupação é lançar um olhar diferente sobre algumas espécies que grande parte das pessoas julga ‘aterrorizantes’. “Depois de entrar na faculdade, senti a necessidade de registrar aquilo que observava e que poucos têm a oportunidade de ver”, revela.

Confira a seguir, a reportagem na íntegra:

Répteis e outros animais registrados com olhar diferenciado por estudante
Rafael Menegucci sai mensalmente em busca de novas espécies e pretende fotografar grandes predadores.

Sapo-de-chifres foi registrado pelo estudante. (Foto: Rafael Menegucci / VC no TG)

Rafael Menegucci é estudante de ciências biológicas na Universidade Federal de Alfenas e tem como hobby fotografar a natureza, especialmente répteis e anfíbios.

Em cada registro, a preocupação é lançar um olhar diferente sobre algumas espécies tidas, segundo o estudante, como “aterrorizantes” por grande parte das pessoas. “Depois de entrar na faculdade, senti a necessidade de registrar aquilo que observava e que poucos têm a oportunidade de ver”, conta.

Há dois anos o estudante faz saídas mensais em busca de dados para suas pesquisas em desenvolvimento, e não deixa de levar o equipamento fotográfico. “A câmera está sempre pendurada no pescoço, preparada para os registros.”

Rafael diz que as dificuldades para fotografar as espécies começam no encontro com os animais, já que muitos deles são raros, camuflados ou se encontram em locais de difícil acesso. Segundo o estudante, conhecer os hábitos dos bichos é essencial para fazer os registros. “É necessário paciência, além de dedicação e um pouco de sorte. Um olho bem treinado em ambientes naturais é indispensável”, explica.

O cuidado para chegar perto do animal é crucial. Rafael lembra que a aproximação com mamíferos e aves deve ser lenta e com o mínimo de barulho possível para não afugentá-los. Ressalta ainda a importância do uso de equipamentos de proteção e cuidado redobrado ao fotografar animais peçonhentos, como jararacas e cascavéis.

A galeria de imagens do estudante cresce cada vez mais, mas Rafael tem planos para enriquecer o acervo: fotografar grandes predadores em ambiente natural. Além da onça, a jararaca-verde ganha destaque na lista. “Gostaria muito de registrá-la. É uma das serpentes mais lindas do mundo e a tenho tatuada no braço”, conta.

saiba mais