Máscara de proteção respiratória N95

Clínica de Especialidades Médicas

 

MÁSCARA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA (RESPIRADOR PARTICULADO – MÁSCARA N95/PFF2 OU EQUIVALENTE)

 

Quando o profissional atuar em procedimentos com risco de geração de aerossóis, em pacientes suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus, deve utilizar a máscara de proteção respiratória (respirador particulado) com eficácia mínima na filtração de 95% de partículas de até 0,3μ (tipo N95, N99, N100, PFF2 ou PFF3).

São alguns exemplos de procedimentos com risco de geração de aerossóis: intubação ou aspiração traqueal, ventilação não invasiva, ressuscitação cardiopulmonar, ventilação manual antes da intubação, coletas de secreções nasotraqueais, broncoscopias, etc.

Observação 1: As máscaras usadas por período maior ou por um número de vezes maior que o previsto pelo fabricante podem não cumprir os requisitos para os quais foram certificados. Com o tempo, componentes como por exemplo, as tiras e o material da ponte nasal podem se degradar, o que pode afetar a qualidade do ajuste e da vedação.

Observação 2: O profissional de saúde NÃO deve usar a máscara cirúrgica sobreposta à máscara N95 ou equivalente, pois além de não garantir proteção de filtração ou de contaminação, também pode levar ao desperdício de mais um EPI, o que pode ser muito prejudicial em um cenário de escassez.

Observação 3: A máscara pode ser reutilizada pelo mesmo usuário enquanto permanecer em boas condições de uso (com boa vedação e elásticos íntegros) e não estiver suja ou contaminada por sangue, secreções ou excreções. A ANVISA não define um tempo de vida útil específico para a máscara N95/PFF2/PFF3

Observação 4: Para remover a máscara, retire-a pelos elásticos, tomando bastante cuidado para nunca tocar na sua superfície interna e a acondicione de forma a mantê-la íntegra, limpa e seca para o próximo uso. Para isso, pode ser utilizado um saco ou envelope de papel, embalagens plásticas ou de outro material, desde que não fiquem hermeticamente fechadas. Os elásticos da máscara deverão ser acondicionados de forma a não serem contaminados e de modo a facilitar a retirada da máscara da embalagem. Importante: Se no processo de remoção da máscara houver contaminação da parte interna, ela deverá ser descartada imediatamente.

 

 

Observação 5: O tempo de uso da máscara N95/PFF2 ou equivalente, em relação ao período de filtração contínua do dispositivo, deve considerar as orientações do fabricante.

 

ACONDICIONAMENTO DA MÁSCARA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA (MÁSCARA N95/PFF2): Após o uso contínuo da máscara N95/PFF2 para assistência de pacientes com infecção suspeita ou confirmada de COVID19, acondicioná-la em envelope de papel (identificado com o nome do profissional e data) e posteriormente em recipiente plástico de fácil limpeza ou desinfecção.

 

ETAPAS PARA COLOCAÇÃO DA MÁSCARA N95/PFF2

Referências para elaboração dos informes, orientações e normas