Seminários em Matemática 2019

Os Seminários em Matemática integram um evento extensionista que tem como objetivo a criação de um ambiente de troca de saberes, ensino, divulgação e aprendizagem de temas relacionados à matemática, por meio de exposições de pesquisas por discentes, docentes e convidados da comunidade externa.

O discente Ronaldo Lopes fechou o nosso evento “Seminários em Matemática” desse semestre com  a palestra intitulada “Ações Afirmativas e seus impactos na UNIFAL-MG“.

Sobre o tema da palestra

As políticas de ações afirmativas visam promover o acesso de indivíduos pertencentes a grupos sub-representados a um determinado contexto, geralmente marcados por um passado de exclusão. No cenário universitário brasileiro, essas políticas são utilizadas desde 2003. Com a Lei de Cotas, em 2012, tornou-se obrigatório que universidades, institutos e centros federais de educação reservem, no mínimo, metade de suas vagas para estudantes egressos de escolas públicas, respeitando aspectos sociais e raciais. A presente pesquisa visou identificar o impacto das ações afirmativas, em especial, das cotas de ingresso nos cursos de graduação UNIFAL-MG com base nos dados dos estudantes ingressantes no ano de 2018. Foram analisados 27 cursos da universidade e, os resultados indicam que, em 2018, as vagas destinadas para estudantes egressos de escolas públicas não foram ocupadas em sua totalidade. Além disso, percebeu-se que os ingressantes com renda superior 1,5 salário mínimo per capita foram os mais beneficiados pelas cotas na UNIFAL-MG como um todo. O impacto das ações afirmativas é relevante na UNIFAL-MG, sendo mais evidente nos cursos da área de Ciências Biológicas e Saúde e, também nos cursos de Bacharelado.

O Prof. Me. Bruno Tobias  ministrou sobre “Uma Proposta de Sequência Didática para Abordagem dos Números Complexos” no “Seminários em Matemática”.

Sobre o tema da palestra

Nos atuais livros didáticos referentes ao nível médio de ensino, o conjunto dos números complexos é dado segundo uma abordagem bastante tradicional, a qual é apresentado um fato histórico, muitas das vezes não concernente ao conteúdo estudado, e em seguida define-se as operações básicas deste conjunto, sendo seus elementos dados na sua forma algébrica. A ausência de contextualização somada ao uso recorrente de definições e fórmulas, sem relacionar estas com as transformações no plano complexo, é um dos motivos do baixo interesse neste tópico, embora muito rico na Matemática e necessário a outras ciências. Com o propósito de obter um tempo maior em sala de aula para lidar com a contextualização e utilização dos números complexos, a estratégia de ensino se faz primordial. Visto que o estudo das matrizes é anterior ao número complexo, nesta palestra, vamos propor uma sequência didática para o processo de ensino-aprendizagem dos números complexos, fazendo uso da representação matricial. Com isso, o estudo dos números complexos se dará, de uma maneira acessível aos alunos do ensino médio, face à maior familiaridade destes em lidar com o conjunto de matrizes.

O seminário “Estudo do ajuste de distribuições de probabilidades na análise de precipitações máximas no Sul de Minas” foi proferido pelo discente Thales Rangel.

Sobre o tema da palestra

Este estudo objetivou-se em identificar dentre as distribuições Generalizada de Valores Extremos, Gumbel e Log-Normal, qual obteve as melhores estimativas de precipitação máxima diária mensal para as cidades mineiras de Juiz de Fora, Machado e São Lourenço.

Vejamos algumas fotos dessa atividade do dia 28 de maio.

A Profa. Roberta Siqueira ministrou o seminário com o tema “Aplicações de Estruturas Algébricas na Modelagem do Código Genético“. Foi realizado no dia 23 de abril.

Sobre o tema da palestra

Para a comunidade científica, um dos maiores desafios é analisar a existência de uma estrutura matemática relacionada com a estrutura do DNA. Muitas pesquisas vêm sendo realizadas com estudos relacionados a problemas envolvendo o código genético, entre outros fenômenos biológicos, utilizando a matemática para contribuir na análise e descrição desses conceitos teóricos. O seminário tem por objetivo apresentar o uso de ferramentas matemáticas, em particular, elementos de álgebra, na modelagem do código genético. A extensões de Galois foi utilizada para a modelagem do código genético, através da associação de um elemento da extensão GF(2^6) para cada códon do código genético e possíveis operações efetuadas no processo de modelagem, para possíveis estudos de fenômenos mutacionais. Os códons são formados por uma trinca de bases nitrogenadas, com 64 combinações possíveis. As bases nitrogenadas são a adenina, citosina, guanina e timina/uracila, que são representadas pelas letras A, C, G e T/U, respectivamente, e representam o alfabeto do DNA. Serão apresentadas uma representação polinomial e vetorial para a estrutura do código genético, onde para cada códon foi associado um elemento da extensão GF(2^6), uma vez que vemos que existe uma associação um-a-um dos códons do código genético com um elemento da extensão de Galois. Para isso, consideramos um polinômio primitivo para a obtenção da extensão e consequente associação com o meio biológico. Desta forma, identificamos um interessante elo entre biologia (código genético) e álgebra (extensões de Galois).

No dia 09/04, aconteceu a primeira atividade de 2019 dos Seminários em Matemática: a palestra “Plataforma 9 3/4”, proferida pelo Prof.  Nelson Lemes.

Sobre o tema da palestra

“No centro de Londres, existe a placa da plataforma 9 3/4 da Estação ferroviária King’s Cross. Os geeks presentes já perceberam a referência aos filmes do Harry Potter. Nos filmes, Harry é capaz de atravessar uma parede sólida entre a plataforma 9 e 10 para pegar o Hogwards Express, trem que o leva à escola de magia, bem longe dos trouxas. A proposta deste seminário é semelhante, pretendo levá-los a um novo mundo”, explica o palestrante.

 

O que aconteceu nos Seminários em Matemática 2018?