VIII Semana Nacional de Museus na UNIFAL-MG

A oitava edição da Semana Nacional de Museus na Universidade Federal de Alfenas, organizada pelo Museu da Memória e Patrimônio e ocorrida entre os dias 09 e 15 de maio do corrente ano, contou mais uma vez com nomes nacionais e internacionais. Na abertura, após a apresentação “Saudemos Oh! João Gostoso!”, feita pelo Leandro de Souza e crianças da Associação Cáritas, foi proferida a conferência de abertura pela Professora Licenciada Olga Nazor (Presidente do Subcomitê Regional de Museologia para a América Latina e Caribe – ICOFOM LAM e professora da Universidade Nacional de Avellaneda em Buenos Aires). Após a conferência, foram lançados os seguintes livros: Catálogo “Plantas Medicinais e Medicina Tradicional na Pérsia Antiga” e Cartilha do Projeto “Museu de Cada Um, Patrimônio de Todos Nós: brincando de construir ideias sobre Museus e Patrimônios no Sul de Minas Gerais”, ambos de autoria do Museu da Memória e Patrimônio; “Antiguidade Tardia e o fim do Império Romano”, de Cláudio Umpierre Carlan e Pedro Paulo Abreu Funari; e “Constantino e o Triunfo do Cristianismo na Antiguidade Tardia”, de Jefferson Ramalho, Pedro Paulo Abreu Funari e Cláudio Umpierre Carlan.

 

No dia seguinte, na mesa “Museus, Patrimônios e Paisagens Culturais no Brasil”, coordenada pelo Prof. Dr. Pedro Paulo Abreu Funari, os convidados Prof. Diogo Jorge de Melo (UFPA), Drª. Aline Rocha de Souza Ferreira de Castro (Museu da Geodiversidade – UFRJ) e Doutorando Clésio Barbosa Lemos Junior (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário de Formiga), apresentaram suas experiências no Pará, Ceará e Minas Gerais (Belo Horizonte), respectivamente. Em seguida, a mesa coordenada pelo Prof. Dr. Claudio Umpierre Carlan e intitulada “Museus, Patrimônios e Paisagens Culturais no Sul de Minas Gerais”, foi composta por Sônia Maria Sanches (Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas), Gilmara Aparecida de Carvalho (Presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Paraguaçu) e pelas discentes Carolina Prinholato Ricciopo e Mariana Loureiro, essas últimas apresentando suas experiências no Museu da Memória e Patrimônio.

 

Na tarde do dia 10, foram apresentados os trabalhos enviados para a Semana e publicados nos anais do evento, com a coordenação da museóloga Silvilene de Barros Ribeiro Morais. No dia 11 de maio, pela manhã, ocorreu a mesa “Patrimônio, Paisagens Culturais e Arqueologia”, com a coordenação do Dr. Tobias Vilhena de Moraes, (IPHAN / Pós-Doutorando - UNICAMP) e composta pelos convidados Dr. Maria Aparecida de Andrade Almeida (Pós-Doutoranda - UNICAMP), Doutorando Jefferson Ramalho (Doutorando em História - UNICAMP) e Prof. Dr. Luciane Munhoz de Omena (UFG e Pós-Doutoranda - UNICAMP), que relataram suas experiências na interface Patrimônio e Arqueologia.

 

Na tarde do dia 11, foi iniciada a oficina de Conservação e Restauro, ministrada por Sandra Fosque, Diretora de Promoção e Extensão Cultural, e Carolina Concesso, Professora de Arte e Restauro, área de Papel (FAOP/UFOP), sobre conteúdos teóricos e introdutórios de conservação e restauração, além de parte prática, que ocorreu ao longo do dia 12 de maio.

 

Entre os dias 13 e 15 de maio, como fechamento da semana, foi realizada a visita técnica à cidade histórica de Paraty, tombada pelo IPHAN em sua totalidade, contando com 48 participantes representando os seguintes cursos: História, Ciências Sociais, Biotecnologia, Odontologia, Biologia, Geografia e membros da comunidade externa. O grupo, guiado pelos representantes do Museu de Arte Sacra - o diretor Julio Cezar Neto Dantas e os funcionários Igor Maia e Caio Leite - visitou os seguintes espaços: Centro Histórico de Paraty (incluindo os 06 passos da paixão), Casa da Cultura, Museu de Arte Sacra e Forte Defensor Perpétuo. Ainda, a visita a essa cidade foi permeada pela Festa do Divino Espírito Santo, patrimônio imaterial nacional, que ocorria durante todo o fim de semana.

 

Pela sua abrangência nacional e internacional e seu impacto na Universidade Federal de Alfenas, é possível inferir que se trata de um evento de relevância para a universidade e que consegue abranger, em suas atividades, pesquisa, ensino e extensão.