Geógrafos formados pela UNIFAL-MG criam plataforma para conectar comerciantes e consumidores durante a pandemia do coronavírus

Para fortalecer a economia local da cidade de Mogi das Cruzes-SP durante a crise do Covid-19, os geógrafos Renan Castro e Hélio Pina, formados pela UNIFAL-MG e, hoje, doutorandos em Geografia pela USP, desenvolveram uma ferramenta estratégica gratuita para pequenos comerciantes, agricultores e prestadores de serviços se aproximarem dos consumidores.

(Foto: arquivo pessoal Renan Castro)

O aplicativo “Fortalecendo Economia Local” apresenta um mapa interativo,  no qual estão disponibilizados os pontos de referência dos produtos e serviços da cidade, bem como o contato para solicitar a entrega. “Nós criamos essa plataforma, porque percebemos que, principalmente, os pequenos comerciantes e prestadores de serviços em Mogi das Cruzes, não estavam conseguindo escoar sua mercadoria e prestar serviço em função da pandemia, e um dos problemas era exatamente como chegar aos consumidores, então pensamos em fazer uma plataforma que aproximasse essas pessoas espacialmente e a partir dela conseguíssemos fortalecer a economia local”, explica Renan.

A operacionalização do projeto é realizada com o apoio de uma equipe que, além dele e do colega geógrafo, também é formada por uma socióloga, uma psicóloga e uma estudante do curso de Letras da USP. O trabalho da equipe envolve atualização do mapa criado na plataforma de geoprocessamento Esri, divulgação de cada negócio no Instagram e o contato entre comerciantes por um grupo criado no WhatsApp. “Temos uma página bem forte em Mogi e divulgamos uma arte do projeto com link para um formulário para os pequenos comerciantes preencherem informações de seus estabelecimentos. As informações vão para um banco de dados e duas integrantes da equipe ficam responsáveis por analisar o material e criarem as artes dos negócios que, posteriormente, são acrescentadas no mapa e divulgadas nas redes sociais”, detalha.

No momento, estão cadastrados cerca de 60 negócios na plataforma, tais como padarias e entregadores de mercadorias, e segundo o geógrafo, a iniciativa já tem promovido bons resultados no comércio local. “Tem uma moça, por exemplo, que vende lanche e compra da moça que vende ovos do mesmo bairro. Então está havendo essa troca muito interessante”, conta.

(Imagem: Reprodução/Facebook)

Renan acredita que o projeto possa ser replicado na região Sul de Minas, necessitando, para isso, de geógrafos ou estudantes de Geografia com disponibilidade para trabalhar na plataforma de geoprocessamento. “Nós podemos mostrar qual é a metodologia que usamos, para quem sabe expandir o projeto também para o Sul de Minas”, afirma.

Ao comentar a boa ação do projeto, o geógrafo ressalta a importância de egressos buscarem soluções que possam contribuir para demandas da sociedade. “Nós fomos muito incentivados pelos nossos professores da UNIFAL-MG a colocar a nossa ciência, no caso a Geografia, a serviço da sociedade. Então, nesse momento de pandemia, nós tentamos colocar a ciência geográfica e todos as ferramentas para resolver um problema concreto que é desses pequenos comerciantes e prestadores de serviços. A minha posição é que os egressos do curso de Geografia e de qualquer outro curso tentem pensar a ciência, de uma forma que quando estiverem no mercado de trabalho, seja em qual área for, consigam colocá-la a serviço para resolver problemas sociais e responder demandas da sociedade”, destaca.

Quem tiver interesse em conhecer melhor como funciona a ferramenta “Fortalecendo Economia Local”, pode acessar o endereço https://linktr.ee/economialocalmogi ou o Facebook de Renan Castro.

(Imagem: Reprodução/Captura de tela da plataforma)
Copy link
Powered by Social Snap