UNIFAL-MG contribui com a formação continuada de professores da rede municipal de Alfenas; o curso de extensão atende 1.200 professores de diversas escolas municipais da cidade

“Ser professor não é uma tarefa fácil. Muitas são as possibilidades dentro de uma sala de aula. Atender todas as demandas trazidas pelas crianças e por aqueles que compõem o espaço escolar exige bastante do docente”. Essa reflexão do professor Mário Sérgio de Castilho, da Escola Municipal Dr. João Januário de Magalhães  (CAIC) apresenta, em síntese, um dos desafios da atividade docente. E, uma das formas de contribuição aos professores no atendimento dessas demandas é a formação continuada.

O professor Mário Castilho e outros 1.199 professores da rede municipal de ensino de Alfenas, atentos à importância da formação, são atendidos pelo curso de extensão “Formação Continuada Virtual de Professores (as)” oferecido pela UNIFAL-MG desde agosto deste ano. “Atualmente com todo ‘bombardeio’ de informações existentes formar-se para superar os desafios do dia-a-dia é indispensável. Sendo assim, esse período de formação pela qual está passando a Rede Municipal de Educação de Alfenas faz-se importante e bem vinda a oportunidade”, disse o professor.

Mário Sérgio de Castilho Escola Municipal Dr. João Januário de Magalhães – CAIC.

A oportunidade, citada por Mário Castilho, surgiu da iniciativa da professora Vanessa Cristina Girotto Nery, do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL). Ela e o técnico-administrativo Marcos de Abreu Nery, do Departamento de Registros Gerais e Controle Acadêmico (DRGCA), criaram o curso com a colaboração de docentes da UNIFAL-MG e de outras instituições do Brasil, e uma docente de Angola, a partir de uma demanda da Secretaria Municipal de Educação. O objetivo foi “[…] proporcionar aos professores e professoras da rede Municipal de Educação de Alfenas, o contato com diferentes abordagens teóricas e metodológicas voltadas para o âmbito educacional”.

De acordo com a coordenadora, a proposta do curso é ser bem reflexivo para impactar a prática. Tanto que, ao final de cada módulo, os participantes devem apresentar uma síntese reflexiva sobre o curso e como o participante repensaria a prática na escola. No fim do curso, essa síntese será entregue também aos diretores das escolas.

“O curso tem feito ‘sentido’ para as professoras e professores, pois montamos um ambiente em que eles e elas têm espaço para ler, refletir, tirar dúvidas e dialogar com diferentes professores(as) experientes a respeito do que fazem ou poderiam começar a fazer no cotidiano das escolas em que atuam”, disse a professora Vanessa e, para reforçar essa percepção, ela conclui o depoimento com a citação do grande educador brasileiro Paulo Freire: “Partamos da experiência de aprender, de conhecer, por parte de quem se prepara para a tarefa docente, que envolve necessariamente estudar”, finaliza.

Thais Aparecida Bento Reis, da Escola Municipal Nicolau Coutinho.

Outra participante do curso, a professora Thais Aparecida Bento Reis, da Escola Municipal Nicolau Coutinho, localizada na comunidade rural “Bárbaras”, ressalta a importância de cursos de formação. “Os cursos de formação continuada são essenciais para o trabalho do professor. É muito importante que busquemos sempre aprender e aperfeiçoar nossa prática pedagógica. Esse curso oferecido pela Universidade traz para nós, professores e professoras da rede municipal, a possibilidade de aprendermos um pouco mais sobre diferentes áreas do conhecimento pedagógico e de conteúdos com os quais lidamos diariamente’, ressaltou.

A diversidade de temas visa aprofundar o contato dos professores com discussões do campo da educação, e de questões sociais como uma educação antirracista, envolve o campo da alfabetização, da matemática, da educação infantil, das artes, da música, da saúde, da educação digital, da relação entre família e escola, legislação, libras e meio ambiente. E, a partir disso, conforme os objetivos, “promover experiências que auxiliem a compreensão dos processos que envolvem repensar o cotidiano da sala de aula e auxiliar na produção de significado no que diz respeito às ações que já realizam em seu cotidiano […]”.

Para o professor Luciano Teixeira Dias, supervisor pedagógico do 4 º ano da Escola Municipal Professora Tereza Paulino da Costa, a variedade de temas foi o principal atrativo do curso. “Os temas e assuntos abordados estão ligados diretamente com a pratica docente e o fazer pedagógico, eles vêm ao encontro para esclarecer e agregar valores para que possamos fazer, o que acredito necessário para uma educação de qualidade: a constante ressignificação da prática docente constantemente”, destacou.

Luciano Teixeira Dias, supervisor pedagógico do 4 º ano da Escola Municipal Professora Tereza Paulino da Costa.

Já a professora Thais Reis, ressalta a qualidade da formação continuada. Segundo ela, a carga horária, a qualificação dos ministrantes e a certificação da UNIFAL-MG agregam muito valor e credibilidade ao curso. “Outro ponto que acho muito interessante, é que desde as primeiras aulas, foi possível perceber a aplicabilidade do conteúdo abordado com nossa prática pedagógica, isso faz muita diferença no interesse e na participação dos professores”.

Também ressaltando a qualidade do curso, Mário Castilho, do CAIC, chama a atenção para a necessidade do professor se “descobrir e se reinventar” após o período de pandemia. “Ao findar este tempo de pandemia, acredito que não dará mais para voltar àquela antiga normalidade. Tudo já mudou de uma maneira muito rápida. Novas atitudes terão que ser tomadas. Sem dúvidas, a formação que agora está sendo realizada será bem utilizada. Não da mesma maneira que era antes, mas de outra forma que ainda teremos que descobrir e reinventar”, finaliza.

 

Sobre o curso de “Formação Continuada Virtual de Professores (as)”

Encontro virtual do módulo Educação Antirracista, realizado em 17/09.

Realizado no âmbito da extensão universitária da UNIFAL-MG, o curso foi organizado a partir de uma demanda apresentada pela Secretaria Municipal de Educação de Alfenas com o propósito de atender os diferentes segmentos educacionais da rede municipal de Alfenas/MG, a partir de referenciais teóricos que possam auxiliar na formação continuada destes docentes.

A carga horária total é 680 horas divididas em 17 módulos de 40 horas, sendo “Educação Matemática”, “Educação Antirracista”, “Educação Infantil”, “Musicalização Infantil”, “Educação Alimentar Nutricional”, “Alfabetização, Educação no Mundo Digital e suas Tecnologias”, “Libras – Surdez”, “Educação de Jovens e Adultos (EJA)”, “Psicologia”, “Meio Ambiente”, “Leitura e Interpretação de Textos nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental: questões teórico-práticas”, “Relação Família e Escola”, “Saúde”, “BNCC e o Pensamento Algébrico nos Anos Iniciais: o que pode ser Isso?”, “Gestão de sistema e escolar na Educação Pública: perspectivas democráticas” e “Meio ambiente e sustentabilidade”.

A inscrição no curso foi realizada por manifestação dos próprios professores interessados à direção da escola e o participante escolheu os módulos de acordo com seu interesse. As aulas são ministradas pela plataforma Moodle por professores da UNIFAL-MG e convidados da Universidade Federal Mato Grosso do Sul – Campo de Naviraí (UFMS-CPNV), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Universidade Federal de São João del-Rey (UFSJ), do Instituto Superior de Ciências Sociais e Relações Internacionais (Angola) e da Prefeitura Municipal de Sertãozinho. O curso conta, também, com o apoio de estudantes da graduação do grupo de pesquisa “Comunidade Educateliê”, coordenado pela professora Vanessa Girotto e pelo técnico Marcos Nery.

Além das aulas via Moodle, o curso realiza encontros virtuais com transmissão ao vivo pelo canal o grupo Comunidade Educateliê, no Youtube.  Conforme o cronograma, as atividades devem ser encerradas em dezembro deste ano.

Para assistir os encontros virtuais, acesse o canal do grupo Comunidade Educateliê.

Copy link
Powered by Social Snap