“Sistema Busca Ativa” da Prace mapeia e ajuda discentes com dificuldades no acesso, permanência e desenvolvimento acadêmico na UNIFAL-MG; demandas também podem ser informadas por formulário

Conquistar uma vaga em uma universidade pública não é o único desafio na vida de um estudante. Após o ingresso, muitos se deparam com dificuldades de adaptação que vão desde as condições materiais disponíveis, até as mudanças relacionais e pedagógicas em comparação ao que conheciam no ensino médio. Isso impacta negativamente nas condições de acesso, na permanência e no desenvolvimento. Para ajudar nesse processo, a Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (Prace) da UNIFAL-MG criou um sistema com o objetivo de identificar os estudantes com baixo rendimento acadêmico, conhecer suas demandas e propor estratégias de apoio.

O Sistema Busca Ativa é resultado de uma parceria entre o Departamento de Apoio e Acompanhamento (DAA) e o Departamento de Assistência Prioritária (DAP) da Prace, desenvolvido para possibilitar o mapeamento e a intervenção no percurso pedagógico dos estudantes.

Conforme explica a servidora Ira de Lizandra Gonçalves, coordenadora do Departamento de Assistência Prioritária da Pró-Reitoria, o sistema é composto por diferentes encaminhamentos, iniciando pelo processo de identificação dos estudantes com queda abrupta de rendimento acadêmico. “Esta identificação é feita pelo Departamento de Assistência Prioritária por meio da análise individualizada de cada estudante matriculado nos respectivos cursos, considerando a quantidade de disciplinas, a quantidade de aprovações e o índice de rendimento acadêmico nos cursos”, pontua.

A partir da identificação, a equipe realiza uma consulta junto aos coordenadores de cursos para verificar as demandas dos estudantes mapeados. Após o reconhecimento das dificuldades, é feito o agendamento de um atendimento individualizado com base no protocolo de abordagem ativa aos estudantes, oportunidade em que se analisa as condições materiais, as condições relacionais, as condições pedagógicas e as possibilidades de rede de apoio.

“Faz parte do plano de intervenção do Sistema Busca Ativa, o alinhamento de proposições e estratégias institucionais relacionadas a três eixos, contemplados tanto a partir das demandas dos coordenadores, como na identificação das demandas individualizadas dos estudantes. Estes eixos são: Políticas Afirmativas e entendimentos institucionais; Democratização de oportunidades, e Formação acadêmica e projeto de vida”, observa a professora Cláudia Gomes, coordenadora do Departamento de Apoio e Acompanhamento da Prace.

O mapeamento foi iniciado com os ingressantes dos cursos presenciais do 2º semestre de 2018 e do 1º semestre de 2019. Pelo Sistema Busca Ativa, foram identificados 192 estudantes com baixo rendimento acadêmico no 2º semestre de 2019. “Estes discentes foram contatados por e-mail e alguns que conversaram com a nossa equipe, apresentaram problemas relacionados com as condições materiais e conseguiram voltar para o Programa de Assistência Prioritária”, conta Ira sobre a intervenção do Sistema Busca Ativa.

Jackson Figueiredo Adriano foi um dos estudantes que recebeu o contato via Sistema Busca Ativa. Discente do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Economia (BICE) do campus Varginha, ele conta que chegou a pensar em desistir do curso, tamanha dificuldade que encontrou. “Em contato com o projeto tive total certeza de que deveria voltar a frequentar o espaço acadêmico ao invés de abandoná-lo. Acrescentou muito para mim”, afirmou sobre a experiência.

O discente comentou que a ajuda da equipe possibilitou melhorar seu aproveitamento. “A equipe é 100% preparada e atenciosa no intuito de ajudar. Pelas circunstâncias da Covid-19, não consegui me matricular em muitas disciplinas, mas as que estou fazendo, meu rendimento está ótimo”, afirmou.

Ações futuras para o plano de intervenção

De acordo com Profa. Cláudia, atualmente, o Departamento de Apoio e Acompanhamento e o Departamento de Assistência Prioritária já realizam encaminhamentos e intervenções próprias e, após a finalização da primeira etapa do Busca Ativa, a equipe observou a importância de estabelecer parcerias com outras pró-reitorias. “Verificamos a necessidade de definirmos parcerias com as Pró Reitorias de Extensão; de Graduação e de Pesquisa e Pós-Graduação, para podermos realizar as ações definidas nos eixos mencionados anteriormente”, ressalta.

Para tornar mais dinâmico o processo de Busca Ativa, a equipe divulgou um formulário para preenchimento de coordenadores, professores e estudantes. “O formulário é uma tentativa de investirmos em práticas de reconhecimento de demandas precoces que, porventura, sejam percebidas a qualquer momento, ao longo do período acadêmico”, complementa Ira.

Coordenadores, professores e estudantes podem preencher o formulário, disponível neste link.

Copy link
Powered by Social Snap