Vacina Covid-19: economista da UNIFAL-MG comenta a logística de distribuição brasileira e a dependência de insumos importados na Rádio Vanguarda

Na quinta-feira, 21/01/2021, o Bate-Papo Van, da Rádio Vanguarda FM (103,1 MHz), debateu a pauta da vacina da Covid-19, contando com a participação ao vivo do docente Marçal Serafim Cândido, professor de Economia do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA/UNIFAL-MG), e da professora do UNIS, a biomédica Hadassa Santos. No bate-papo, o professor Marçal explicou a dependência brasileira de insumos importados da China. A biomédica Hadassa esclareceu e tirou dúvidas sobre a eficácia e segurança da vacina.

Conforme explicou o professor Marçal, o Brasil possui uma limitada infraestrutura física (estradas, portos, mão de obra), o que atrapalha na rapidez do processo de vacinação da população brasileira. “A indústria farmacêutica, por exemplo, vai depender de muitos insumos importados. E hoje acontece no mundo assim: você tem um lugar que desenvolve determinado medicamento, determinado fármaco; você tem o lugar que produz; você tem o lugar em que [o produto] é consumido”, explicou Marçal.

O professor destacou que as burocracias que envolvem a instalação de uma empresa estrangeira aqui no Brasil, faz com que seja mais viável e rápido produzir no exterior e depois importar para o país. Marçal enfatizou que estas burocracias atrapalham a evolução da indústria e da pesquisa brasileira: “Então, trazer empresas dessa área, passa por você melhorar o ambiente econômico, pras empresas quererem instalar aqui.”

Segundo análise do economista, o Brasil se encontra em uma interdependência com a China e com todo o mundo. Ele explicou que a união das habilidades de cada país faz a diferença, já que tem setores em que um país pode não ser bom e assim precisa da ajuda de um outro país, e vice-versa. “A política precisa, vamos dizer, azeitar essa relação entre economia e saúde”, disse Marçal. Para o pós-pandemia, respondendo uma pergunta da professora Hadassa, Marçal diz acreditar na evolução dos indivíduos, que precisam cooperar entre si, tomando decisões que envolvem o futuro do país e da humanidade. Na pergunta feita por Marçal à professora Hadassa, o economista abordou a relação da política com saúde, afirmando observar, a partir da situação da vacina, que a saúde procura se manter distante da política, ao que a professora Hadassa opina que a política não deveria ter o poder de influenciar decisões relacionadas a saúde.

Prof. Marçal finalizou, comentando que muitos talentos, inclusive da área da saúde, deixam o Brasil para trabalhar no exterior devido à falta de perspectiva em nosso país.

Confira a participação do professor Marçal no Bate-Papo Van:

Disponível no link: https://www.facebook.com/vanfmoficial/videos/423850942397466

Colaboração: Túlio Rabelo, estagiário de Comunicação Social da UNIFAL-MG - campus Varginha

Copy link
Powered by Social Snap