Em jornal, professor de epidemiologia comenta vacinação em idosos e expectativas para a Onda Roxa em Minas Gerais

O professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNIFAL-MG, Sinézio Inácio da Silva Júnior, participou do jornal Bom Dia Cidade no dia 18/03, a fim de esclarecer informações sobre o avanço da vacinação e a implantação da Onda Roxa em Minas Gerais. Na oportunidade, o professor falou sobre as variantes do coronavírus, o isolamento social e os efeitos da imunização, que tem ocorrido em ritmo lento.

“A Onda Roxa, a nossa grande expectativa, é que ela pelo menos produza o isolamento social acima de 60%, ou não teremos os efeitos esperados e compensadores desse grande sacrifício que está sendo feito. No entanto, nós não podemos nos fiar muito na vacinação, porque são ainda poucas doses e uma incerteza a respeito do ritmo de fornecimento das doses. A vacinação tem que ser vista estrategicamente para prevenir mortes dos mais vulneráveis. Traduzindo, vacinar idosos”, explicou o docente.

Segundo ele, não é possível esperar que a vacina previna a população de novos casos imediatamente, mas  ela é importante para prevenir mortes. “E o vírus, quanto mais casos tiver, ele realmente sofre mutações e vai se adaptando às nossas defesas e se tornando mais transmissível. Uma das adaptações que ele faz é ficar resistente aos anticorpos criados pelas pessoas que já tiveram a infecção, só que as primeiras vacinas, as que estão sendo aplicadas, foram feitas justamente com o vírus original”, iniciou o professor. “Então, ainda existe uma dúvida se e o quão significativo vai ser a vacina funcionar ou não, mas, quanto mais tivermos casos acontecendo com a vacinação lenta, nós facilitamos a essas variantes se adaptarem inclusive à vacina”, disse.

Confira a reportagem completa abaixo:

 

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/9359749/

Copy link
Powered by Social Snap