Cursinhos preparatórios para o Enem se adaptam ao modelo de ensino remoto e oferecem, a distância, atividades, aulas, plantões de dúvidas e grupos de tutoria em 2021

Assim como cursos de Graduação e Pós-Graduação da UNIFAL-MG, o formato das aulas dos cursinhos preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que são ofertados gratuitamente nos três campi da Universidade, precisou se reformular no ano de 2020, devido à pandemia de Covid-19. Mais adaptados ao modelo remoto, após experiências com as plataformas digitais de ensino, os cursinhos Êxito (Alfenas), Saberes (Poços de Caldas) e Aprendendo a Aprender (Varginha) iniciaram, a partir de março e abril de 2021, novas atividades para turmas de inscritos que desejam ingressar em instituições de Ensino Superior por meio do Enem.

Neste ano, os projetos registram, em conjunto, mais de 400 inscritos, os quais podem acompanhar aulas síncronas e assíncronas ofertadas por bolsistas de cursos de Graduação da UNIFAL-MG sob orientação dos professores de cada área do conhecimento. As atividades didáticas contam com simulados, plantão de dúvidas e grupos de tutoria para incentivar e motivar os estudantes, conforme explicou a coordenadora do projeto de Alfenas, Andréa Cardoso, professora do Instituto de Ciências Exatas da UNIFAL-MG, à Dicom.

“As atividades do Programa se iniciaram em março de 2021, com a seleção e capacitação de professores e gestores, bem como análise das inscrições e matrículas. Em Varginha e Poços, as aulas se iniciaram em 15/03 e, em Alfenas, no dia 05/04”, contou a docente. Segundo ela, em virtude da situação de emergência ocasionada pela pandemia, a proposta para 2021 é manter, inicialmente, as atividades em encontros na plataforma Google Sala de Aula, assim como foi feito em 2020, quando bolsistas e coordenadores discutiram formas de adaptação ao modelo de ensino on-line.

Segundo o professor do Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFAL-MG, Antônio Donizetti, coordenador do cursinho Saberes, as experiências adquiridas foram de enorme importância para o desenvolvimento das aulas no momento atual, bem como para a continuidade do projeto. “Em 2021, embora ainda haja desafios significativos voltados a manter a motivação dos estudantes para o aprendizado e bom desempenho no Enem, as expectativas são positivas, visto que o projeto já possui um amadurecimento e uma vivência neste novo modelo e período que atravessamos”, relatou o docente.

Mesmo enfrentando desafios, o ensino remoto não deixou de registrar experiências produtivas e gratificantes, na opinião da coordenadora do cursinho Aprendendo a Aprender, Profa. Ana Carolina Guerra. “Por exemplo, em uma pesquisa realizada entre os beneficiários do projeto, 100% dos respondentes consideraram os conteúdos abordados pelos professores relevantes para os estudos para o Enem, 88,9% consideraram a plataforma utilizada adequada, e a mesma porcentagem de respondentes, 88,9%, afirmou que o cursinho auxiliou de forma significativa na preparação para o Exame”, destacou.

Foto: Arquivo Pessoal/Ludimila da Costa Moreira

Os relatos de bolsistas e estudantes também confirmam o êxito das iniciativas. Ludimila da Costa Moreira, que deseja ingressar no curso de Fisioterapia, destacou, em conversa com a Dicom, a atenção e o acolhimento dos bolsistas em relação aos discentes. “Eles são pacientes e, sempre que necessário, nos ajudam. Estão preocupados se estamos acompanhando e se eles estão passando a matéria de uma maneira que a gente compreenda tudo”, contou. Para ela, o ponto positivo do ensino remoto está na facilidade de acesso, por não necessitar de locomoção, ao passo que o ponto negativo seria depender de internet. “Mas, em questão de material, não estamos tendo problemas, porque os professores se organizaram bem no Google Sala de Aula”, completou.

Foto: Arquivo Pessoal/Fernanda Ramos

A universitária Fernanda Ramos, discente do curso de Odontologia da UNIFAL-MG e bolsista do cursinho Êxito, destacou que a adequação ao modelo remoto de ensino se tornou possível devido à integração da equipe. “O que torna o projeto diferente é que temos um grupo que realmente ama o que faz. Tivemos reuniões para que pudéssemos conhecer as plataformas juntos e, como compomos um grupo diversificado, aprendemos com os coordenadores a ouvir todas as demandas e a discutir cada uma delas. Então, não existe nenhuma imposição, desde o dia das aulas até qual plataforma usar. Tudo sempre é discutido em grupo, toda opinião é importante”, finalizou a discente, que se sente motivada ao saber que ex-alunos do cursinho se tornaram colegas de faculdade.

Atualmente, os projetos contam com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) mediante a disponibilização de bolsas de Extensão para estudantes dos cursos de Graduação. Para a gestão das atividades, os cursinhos de Poços de Caldas e Varginha contam com a participação do Programa de Educação Tutorial (PET).

Foto: Aula inaugural do cursinho Aprendendo a Aprender, do campus Varginha, em março de 2021
Copy link
Powered by Social Snap