:: Boletim Epidemiológico nº 22 – 17/05/2021 – Situação epidêmica da Covid-19 em Minas Gerais e no sul de Minas

O boletim nº 22 mostra que em 17 de março, primeiro dia de Onda Roxa em Minas Gerais, 12 das quatorze regiões mineiras apresentavam tendência de crescimento de casos novos (incidência) de Covid-19. Em 17 de maio, quatro regiões mineiras apresentaram tendência de crescimento na incidência: Sudeste, Triângulo Sul, Oeste e Triângulo Norte. A região Sul que apresentava crescimento oscilou para o limite da estabilidade. Em internações, quatro regiões apresentaram tendência de crescimento: Jequitinhonha, Triângulo Sul, Centro-Sul e Oeste. Tendência de crescimento de óbitos registrada apenas na Região Vale do Aço.

Estabilidade na incidência e internações: em 17 de maio, Minas Gerais como um todo apresentou tendência de estabilidade na incidência e internações, mas registrou tendência de diminuição de mortes. Após 9 semanas do primeiro dia da Onda Roxa, pode-se dizer que essa medida foi útil para conter a escalada de novos casos, mas não para diminuir seu ritmo.

Situação da região sul de Minas: em 17 de maio, a região Sul apresentou tendência de estabilidade em novos casos, internações e mortes. Assim, o Sul de Minas continua alimentando uma média diária de novos casos acima de 1.000 (1.217 em 17 de maio), de internações acima de 80 (82 em 17 de maio) e média de 30 óbitos diários. Continua urgente a necessidade de sairmos do alto patamar em que o ritmo de novos casos se encontra, especialmente pelo risco de novo impulso na incidência provocado pelo Dia das Mães e o próximo feriado de Corpus Christi. Esse nível de incidência associado à lenta vacinação continuará oferecendo condições para o surgimento de variantes mais transmissíveis e resistentes, além de facilitar o espalhamento da já existente variante P.1.

Pressão sobre o sistema hospitalar: entre os 10 municípios com maior população no Sul de Minas, a pressão sobre o sistema hospitalar apenas apresentou recuo em média diária de internações na Regional de Varginha que, junto à Regional de Passos, apresentou tendência de diminuição em internações. Mas, as regionais de Alfenas e Pouso Alegre apresentaram tendência de crescimento no número de novas internações.

Número de novas mortes:  o melhor resultado em indicadores foi o relativo à evolução do número de novas mortes. Há uma semana as regionais de Alfenas e Varginha apresentavam tendência de crescimento, em 17 de maio apenas a Regional de Varginha manteve o crescimento. As demais regionais apresentaram tendência de diminuição no ritmo de novas mortes, o que ajudou à região Sul como um todo a manter a estabilidade desse indicador. Acesse na íntegra

Copy link
Powered by Social Snap