“Sociedade civil e educação: fundamentos e tramas” – Luís Antonio Groppo e Marcos Francisco Martins

Os conteúdos e debates desenvolvidos durante uma disciplina de mestrado se materializaram no livro “Sociedade civil e educação: fundamentos e tramas”, lançado em 2010 e recentemente disponibilizado no formato e-book pela editora Autores Associados. A obra é assinada pelo sociólogo Luís Antonio Groppo, professor e pesquisador do Instituto de Ciências Humanas e Letras da UNIFAL-MG, em parceria com o filósofo Marcos Francisco Martins, professor e pesquisador da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) – Campus Sorocaba.

Autores da obra: o sociólogo Luís Antonio Groppo, professor e pesquisador do Instituto de Ciências Humanas e Letras da UNIFAL-MG, e o filósofo Marcos Francisco Martins, professor e pesquisador da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) – Campus Sorocaba. (Foto: Arquivo Pessoal/Luís Antonio Groppo)

Teorias de pensadores como Antonio Gramsci, Alexis de Tocqueville e Anthony Giddens fazem parte dos textos-base produzidos pelos professores para fundamentar o avanço das ações da sociedade civil no campo da educação não-formal, como organizações não-governamentais, fundações empresariais e movimentos sociais.

“O livro foi criado para uma disciplina para o Programa de Mestrado em Educação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL), onde éramos professores, em 2009”, conta o professor Groppo.

Segundo o pesquisador, durante a disciplina, ele e o colega Marcos Martins produziam um texto-base para ser disponibilizado antes da aula aos discentes. Tal texto focava em um teórico da sociedade civil e propunha uma reflexão a respeito das relações do conceito apresentado com a educação. “Nas aulas, o retorno dos discentes e os debates permitiram um maior desenvolvimento destes textos, os quais deram origem aos capítulos do livro”, revela.

A motivação para transformar os textos em capítulos de um livro veio por perceberem a possibilidade de tornar acessível para mais pessoas as contribuições relevantes dos textos para debates que se travavam sobre o “terceiro setor”, organizações não-governamentais e organizações da sociedade civil e sua presença na educação escolar e não formal. “Decidimos publicar os textos na forma de livro pela possibilidade de comunicar a um público mais amplo os debates que vinham sendo feitos no Programa, cuja área de concentração era “Educação sociocomunitária”, explica.

Dividida em três partes e nove capítulos, a obra de 154 páginas apresenta na primeira parte o tema “Precursores da atual concepção de sociedade civil”, o qual é desenvolvido em três capítulos que abordam Locke, Hegel e Marx.

Na segunda parte, intitulada “Os fundamentos teóricos que sustentam a emergência da sociedade civil como referência para a educação na contemporaneidade”, os autores organizaram quatro capítulos para tratar de Tocqueville, Habermas, Giddens e Gramsci, respectivamente.

“Críticas à sociedade civil e educação” é o tema da parte três, composta por dois capítulos, que tratam da presença das noções de sociedade civil, terceira via e terceiro setor na educação brasileira de então.

“O livro tem, em especial em sua terceira parte, algo datado, ao se colocar dentro de um debate de seu tempo, como resposta a propostas emanadas do governo federal – do então presidente Fernando Henrique Cardoso – e das organizações multilaterais – como Banco Mundial – de uma maior responsabilização da assim chamada ‘sociedade civil’ – um suposto ‘terceiro setor’ distinto do Estado e do mercado – pelas instituições educacionais (escolares e não formais)”, detalha.

Conforme o professor Groppo, as partes I e II são muito atuais, por sua síntese das ideias de importantes pensadores sociais a respeito da sociedade civil e conceitos correlatos como associativismo, esfera pública, Terceira Via, entre outras, assim como suas concepções de educação.

“Os textos buscam ser acessíveis a um público menos versado em filosofia da educação, mas sem deixar de serem rigorosos e se posicionarem ético-politicamente em favor da educação pública, universal e de qualidade”, diz.

Já a parte III, segundo o professor, condiz com as discussões atuais acerca da polarização política sobre a educação pública. “A parte III tem lá sua atualidade, em tempos em que vem se recriando discursos e políticas contrárias à educação pública, como a entrega da gestão de escolas a organizações sociais, a presença de fundações empresariais nos projetos de escola em tempo integral e até mesmo na militarização das escolas”, enfatiza.

A iniciativa de disponibilizar o livro no formato e-book partiu da própria Editora Autores Associados que, conforme o professor Groppo, é uma editora que foi referência em publicações no campo da pesquisa em educação no passado recente e tem se engajado para voltar ao destaque no cenário editorial. “Esse esforço parece ser interessante para recolocar nosso livro e ideias nos debates acadêmicos atuais”, comenta.

O e-book pode ser adquirido no formato Kindle pelo site da Amazon, neste link.