“Acredito que essa é uma experiência que muitos desejam viver, mas nem todos sabem que é possível”, relata discente da UNIFAL-MG que se encontra em mobilidade acadêmica internacional em Portugal

Os estudantes de graduação da UNIFAL-MG, Felipe Garcia de Paula e Maria Clara Freitas de Assis, têm na bagagem a comum experiência de participar de programas de mobilidade acadêmica internacional, que os levou a viver e estudar, por um período, em outro país. Recentemente, a Diretoria de Comunicação Social (Dicom) entrou em contato com os dois para conhecer um pouco mais sobre a rotina das atividades estudantis desenvolvidas no exterior e para entender como o intercâmbio pode agregar à formação acadêmica.

Felipe é aluno do 10° período do curso de Engenharia Ambiental do campus Poços de Caldas e foi selecionado para participar do programa na Universidade de Granada, na Espanha.

“No semestre letivo passado participei do programa de mobilidade acadêmica, de setembro de 2018 a janeiro de 2019. A experiência me proporcionou um grande enriquecimento em minha formação acadêmica, tendo em vista a ótima estrutura oferecida pela Universidade, que é referência em toda a Europa por receber milhares de intercambistas vindos de diferentes partes do mundo”, relata.

Sobre o contexto acadêmico, Felipe explica que as aulas, teóricas e práticas, eram um espaço de troca entre alunos e professores: “pude usufruir de todo o compartilhamento de informações, as quais eram fornecidas não somente pelos docentes, mas também colegas de classe”. O estudante conclui que essa oportunidade o ajudou a aprender sobre a língua espanhola e sobre a cultura da região Andaluz.

Atualmente, a discente do 9º período do curso de Farmácia do campus Alfenas, Maria Clara Freitas de Assis, está na Universidade do Porto, em Portugal. Para ela, a experiência tem sido fundamental para aprimorar o seu desenvolvimento pessoal e profissional. “Em um cenário que está cada vez mais globalizado, [a mobilidade] não só enriquece currículo, mas traz novas perspectivas, novas visões sobre política, educação, economia, sem contar o enorme o crescimento pessoal e o networking que temos. Acredito que essa é uma experiência que muitos desejam viver, mas nem todos sabem que é possível”, afirma.

Maria Clara ainda relata que o programa proporciona a convivência com outras pessoas, culturas e línguas, visto que a mobilidade acadêmica reúne mais de 1100 estudantes, vindos de 64 países, somente nesse semestre. Quanto ao ensino, a estudante de Farmácia compara as diferenças que existem em relação ao Brasil. A primeira delas é que, apesar de pública, a universidade exige que os estudantes paguem uma taxa chamada propina. “No meu caso, pelo Acordo de Cooperação, não preciso pagar”, explica a aluna.

Para finalizar, a discente em mobilidade acadêmica esclarece o funcionamento das aulas e das disciplinas. “Eu pude escolher todas as disciplinas que faço, e ainda poderia escolher disciplinas de qualquer outro curso. No curso de Farmácia todas as disciplinas têm aulas teóricas e práticas, sendo que apenas as práticas têm frequência obrigatória. O conteúdo muitas vezes é similar, mas as aulas práticas são mais ricas pela maior oferta de materiais”, conclui.

Em 2018, cinco discentes do curso de Engenharia Química da UNIFAL-MG, campus Poços de Caldas, participaram da Mobilidade Acadêmica Internacional. Durante a edição, duas alunas foram para a Universidade do Porto, em Portugal, e três alunos foram para a Universidade de Granada, na Espanha.

Além de Maria Clara, uma aluna do curso de Fisioterapia também planeja ir para a Universidade de Aveiro, em Portugal, ainda neste ano de 2019, e duas mestrandas do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação fizeram suas candidaturas em universidades estrangeiras e aguardam a carta de aceite.

Vale destacar também que 21 estudantes estrangeiros se encontram em mobilidade acadêmica na UNIFAL-MG no momento, desenvolvendo atividades nos Programas de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado). Essa oportunidade faz parte do Programa de Alianças para a Educação e a Capacitação (Bolsas Brasil – PAEC OEA-GCUB), resultado da cooperação entre a Organização dos Estados Americanos (OEA), a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e o Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB).

Sobre a Mobilidade Acadêmica Internacional

A Mobilidade Acadêmica Internacional tem como objetivo a expansão do conhecimento científico por meio do intercâmbio de estudantes. Atualmente, a UNIFAL-MG possui convênios com instituições de oito países: Chile, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Portugal e Principado de Andorra.

Para coordenar as parcerias da UNIFAL-MG e o intercâmbio dos discentes, a Diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais (DRI), sob a direção do professor do Instituto de Ciências Humanas e Letras, Cláudio Umpierre Carlan, realiza a divulgação nacional e internacional da Universidade, a fim de promover uma maior colaboração para o desenvolvimento acadêmico, cultural e social no âmbito interno e externo.

A Universidade possui acordos de cooperação também com instituições nacionais e está constantemente ampliando as parcerias.

Para mais informações, acesse: https://www.unifal-mg.edu.br/dri/

Fotos: Arquivo pessoal de estudantes da UNIFAL-MG em mobilidade acadêmica internacional 

*Milena Favalli Simão é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap