Setembro Amarelo mobiliza comunidade acadêmica com atividades de prevenção ao suicídio

A Universidade promove neste mês de setembro, uma série de atividades terapêuticas, culturais e palestras gratuitas que buscam sensibilizar e informar a comunidade acadêmica, bem como a população em geral, sobre a importância da prevenção ao suicídio e a promoção da saúde mental.

“Falar é a melhor solução”: indicações para a comunidade procurar apoio são divulgadas durante a campanha (Foto: Dicom/UNIFAL-MG)

Na sexta-feira, 13/09, na sala V-301 na sede, haverá palestra sobre “Reiki e Aromaterapia”, das 15 às 17h. Na mesma sala, das 17 às 19h, a comunidade poderá participar de uma atividade da terapia “Constelação Familiar”.

Conforme Profa. Luciene Marques, docente da Faculdade de Ciências Farmacêuticas e coordenadora das ações da Campanha Setembro Amarelo na UNIFAL-MG, as ações se estenderão também para a Praça Getúlio Vargas em Alfenas. No sábado, 14/09, a partir de 9h, a comissão organizadora realizará uma atividade em parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV), Núcleo de Atenção Farmacêutica da (NAFAU) e o projeto Cuidando da Gente.

“No dia 16/09, às 17h, na sala R-101, teremos uma palestra: “Saúde mental, da prevenção à reabilitação”, evento promovido pela Liga Interdisciplinar de Saúde Mental (LISM)”, anuncia a coordenadora.

Outras atividades também serão realizadas na próxima semana.

Estratégias de Prevenção

De acordo com relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), no mundo, uma pessoa se suicida a cada 40 segundos. Esse dado, segundo o relatório, não representa fielmente a realidade, já que, para cada morte devidamente registrada, há muitas outras tentativas e óbitos que não chegam a ser contabilizados como suicídios.

A organização alerta sobre a necessidade dos governantes mundiais estabelecerem estratégias nacionais, instituindo medidas preventivas e orientações claras para auxiliar a população a lidar com o tema, que costuma ser encoberto por uma nuvem de preconceitos e incompreensão.

Vale destacar que, conforme a OMS, entre jovens de 15 a 29 anos, o autoextermínio é a segunda causa de morte, atrás apenas dos acidentes de trânsito.

Para fazer frente a essa realidade, o Setembro Amarelo foi criado em 2015, como uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio. É uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). O mês de setembro foi escolhido para a campanha porque, desde 2003, o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. A ideia é promover eventos que abram espaço para debates sobre suicídio e divulgar o tema alertando a população sobre a importância de sua discussão.

Copy link
Powered by Social Snap