Discente da Pós-graduação em Química realiza passagem direta do mestrado para o doutorado; a situação é inédita na UNIFAL-MG para discentes com bolsa

O Programa de Pós-graduação em Química teve a sua primeira passagem direta do mestrado para o doutorado. A situação acorreu com o discente Albert Katchborian Neto que defendeu a dissertação “Biomarkers of anti-inflammatory and neuroprotective activity by untargeted UPLC-ESI-QTOF-MS metabolomic analyses”  (Determinação de biomarcadores de atividade anti-inflamatória de neuroprotetora por análise metabolômica untarget UPLC-ESI-QTOF-M ) por meio de webconferência .

O trabalho desenvolvido pelo discente, apresenta biomarcadores que podem ser explorados no desenvolvimento de substâncias com atividade anti-inflamatórias e atuar como compostos neuroprotetores. Conforme o resumo do estudo, os resultados demonstram também que, devido à suas plantas de base, a ayahuasca, uma bebida cerimonial de alguns ritos, aponta uma potencial aplicabilidade no tratamento da Doença de Parkinson e a possibilidade de impedir sua progressão de maneira diferente dos fármacos atuais.

A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Fitoquímica e Química Medicinal da UNIFAL-MG (LFQM) sob a orientação das professoras Daniela Aparecida Chagas de Paula do Instituto de Química da UNIFAL-MG, e Ana Claudia Chagas de Paula Ladvocat, da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).  O estudo é o primeiro relato no Brasil sobre a composição química e bioatividade de várias espécies endêmicas do gênero de plantas Ocotea sp.

Antes da defesa, os resultados do trabalho foram apresentados em evento internacional

O discente Albert Katchborian Neto, graduado em Farmácia da UNIFAL-MG,  ingressou no mestrado no segundo semestre de 2018. Com a defesa da dissertação, ocorrida em 15 de maio deste ano, foi autorizado pela CAPES a ingressar diretamente no doutorado. “Decidir sobre a mudança de nível para o doutorado não foi algo muito simples para mim. Afinal, a pós-graduação exige muito da gente. Exige muito tempo, dedicação, esforço e estudo. Mas também é gratificante quando vemos nossos resultados”, explica Albert Neto.

Antes da defesa, os resultados da pesquisa foram apresentados no The 5th International Mediterranean Symposium on Medicinal and Aromatic Plants (MESMAP-5) na Capadócia, Turquia, no primeiro semestre de 2019. O trabalho, intitulado “Neuroprotective potential of Ayahuasca and untargeted metabolomics analyses: applicability to Parkinson’s disease” (Potencial neuroprotetor de Ayahuasca e análise metabolômica untarget: aplicabilidade na Doença de Parkinson), teve participação de discentes de graduação e pós-graduação, e de professores da UNIFAL-MG e da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e foi publicado no periódico internacional Journal of Etnopharmacology – Elsevier.

De acordo com o professor Antônio Carlos Doriguetto, coordenador do PPGQ, a defesa de Albert Neto é um marco importante do programa. “Além de envolver a primeira passagem direta para o doutorado, com defesa do mestrado, aprovada pela CAPES, é também a primeira que ocorreu totalmente via webconferência”, destaca.

A passagem direta do mestrado para o doutorado, segundo a professora Vanessa Bergamin Boralli Marques, Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UNIFAL-MG, ocorre após uma avaliação interna do discente pelo programa e, com a aprovação da CAPES, a bolsa de mestrado é convertida para doutorado e o pós-graduando tem até três meses para defender a dissertação.

Albert Neto foi o primeiro discente da UNIFAL-MG a solicitar a mudança de nível, de mestrado para doutorado, com defesa.  “O pedido foi encaminhado pela primeira vez no final de 2019, quando a CAPES estava com o sistema de implementação de bolsas fechado. Com a abertura do sistema em março de 2020, foi novamente enviado e a mudança de nível foi autorizada com o compromisso de que a defesa acontecesse até o final de maio. E foi o que acorreu com o discente Albert Neto”,  explica a professora Vanessa Bergamin.

A defesa da dissertação do atual doutorando em Química pela UNIFAL-MG, Albert Katchborian Neto,  teve as professoras Maria Elvira Poleti Martucci, da Escola de Farmácia da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), e Rejane Barbosa de Oliveira, da Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR), como titulares na avaliação do trabalho.  “Foi a primeira vez que compus a banca de uma defesa realizada totalmente por vídeo conferência e o sucesso da mesma e, claro, a facilidade com que os problemas que surgiram foram solucionados, me mostrou que a despeito do isolamento social, é possível realizarmos defesas de forma bastante satisfatória com o auxílio da tecnologia”, finalizou Maria Elvira Martucci da UFOP.

Colaboração: Danielle Ferreira Dias, vice-coordenadora do Programa de Pós-graduação em Química da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap