UNIFAL-MG na mídia: confira os destaques

Entre os dias 16/06 e 01/07, a UNIFAL-MG foi tema de reportagens em jornais da região do sul de Minas Gerais. O aumento do número de casos de Covid-19, a flexibilização do comércio, as denúncias contra violência doméstica e a pesquisa feita com pesquisadores da UNIFAL-MG e da UFLA foram alguns dos assuntos apresentados. Quer saber mais? Confira:

Professora da UNIFAL-MG fala sobre a divergência do número de denúncias de violência doméstica, durante a pandemia, em comparação aos números reais

No dia 16/06, o jornal EPTV 1ª edição exibiu uma matéria sobre a diminuição de denúncias de casos de violência doméstica no período de distanciamento social. Na oportunidade, a professora do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da UNIFAL-MG, Fernanda Mitsue Soares Onuma, explicou que, com o isolamento, a dificuldade de se fazer o registro oficial aumenta.

“Para pessoas que já eram vítimas de violência doméstica, e as mulheres são a maior parte dessas vítimas, o lar nunca foi um lugar seguro. Essa questão de isolamento social, de ter que ficar em casa com o agressor, acabou aumentando o número desses casos, mas, paradoxalmente, os números de registros oficiais caem, porque esse é um tipo de crime que exige que a pessoa compareça pessoalmente”, disse a docente.

A professora Fernanda Onuma é autora do artigo “O “Paradoxo da Pandemia” no registro de casos de Violência Doméstica contra Mulheres nas quatro cidades mais populosas do Sul de Minas Gerais”, ao lado da docente Aline Lourenço de Oliveira, também do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da UNIFAL-MG.

Para a Diretoria de Comunicação da UNIFAL-MG, a professora Fernanda Onuma ainda ressaltou a importância do trabalho realizado pelo Conselho da Municipal da Mulher, de Varginha, com uma campanha contra a violência doméstica. Os vídeos da campanha podem ser acessados na página oficial do Conselho no Facebook.

Confira a matéria completa abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/8629483/

Eficácia dos túneis de desinfecção individual é comprovada? Microbiologista da UNIFAL-MG explica

Com o novo coronavírus, a procura por desinfecção de espaços e de pessoas aumentou. Entre as opções, destaca-se o uso de cabines de desinfecção individual, que consistem em estruturas nas quais as pessoas permanecem durante alguns segundos para se descontaminar. A eficácia desse processo, no entanto, ainda não é comprovada, assim como explicou a professora do Instituto de Ciências Biomédicas da UNIFAL-MG, Ana Carolina Barbosa Padovan, no jornal EPTV 1ª edição exibido no dia 24/06.

“O primeiro motivo é porque a gente não sabe se o tempo que uma pessoa passa dentro desses túneis, de 20 a 30 segundos, é suficiente para que esse vapor dos compostos químicos desinfete, elimine o vírus das roupas e das solas de sapatos. O segundo motivo é por conta dos efeitos tóxicos que esses compostos podem ter. A gente sabe que o hipoclorito de sódio pode causar lesões de pele”, explicou.

Na oportunidade, a docente ainda reforçou a importância se de usar corretamente as máscaras.

Confira abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/8648442/

Em matéria exibida por jornal da região, docente da UNIFAL-MG reforça o modo correto do uso de máscaras

No dia 25/06, o professor da Escola de Enfermagem da UNIFAL-MG, Rogério Silva Lima, participou do jornal EPTV 1ª edição. Na oportunidade, o docente falou sobre o uso e a higienização das máscaras, que são de uso obrigatório.

“A máscara deve proteger o nariz e a boca, por isso ela tem que estar bem certa no rosto, para evitar que respire as pequenas gotículas que podem conter o coronavírus. Para a remoção das máscaras, você não pode pegar na parte que protege o nariz e a boca, porque ali pode conter as partículas virais”, comentou.

Para a higienização, o docente recomenda que a máscara fique de molho, em água, numa proporção de um litro de água para duas colheres de sopa de hipoclorito, de 20 a 30 minutos. “Depois, pode lavar com água e sabão e passar com o ferro quente”, finalizou.

Confira a matéria completa abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/8651491/

Em reportagem sobre as fases de reabertura do comércio, docente da UNIFAL-MG fala sobre a flexibilização durante a pandemia 

No dia 26/06, o professor do Instituto de Ciências Biomédicas UNIFAL-MG, Leonardo Augusto de Almeida, participou do jornal EPTV 2ª edição, a fim de comentar a situação causada pela reabertura dos estabelecimentos e o crescimento do número de casos de Covid-19 em Minas Gerais. Na opinião do docente, a flexibilização pode agravar ainda mais as condições do Estado.

“A pandemia ainda está ocorrendo, e a população deve ficar atenta a isso e não confundir a flexibilização das atividades comerciais com normalidade”, disse. Para o professor, a dica é: se precisar que sair, que seja para fazer o essencial.

Confira abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/8655814/

Epidemiologista da UNIFAL-MG participa de reportagem sobre o avanço da Covid-19 no interior do país

Cidades sem confirmações do novo coronavírus passaram a registrar os primeiros casos da doença nos últimos dias. Para discutir o assunto, o jornal EPTV 2ª edição exibiu, no dia 24/06, uma reportagem que contou com a participação do professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNIFAL-MG, Sinézio Inácio da Silva Júnior.

“Nós não estamos em condição de relaxar as medidas de distanciamento, porque a curva epidêmica não se encontra numa descendente”, disse o professor. Para ele, é preciso observar, de 10 a 14 dias, uma diminuição consistente do número de casos. “Pelo contrário, a gente está observando o aumento do número de casos no interior do Brasil e no sul do Minas Gerais”, finalizou.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/8649597/

Professor da UNIFAL-MG apresenta estudo feito em parceria com a UFLA; pesquisa poderá prever comportamentos futuros do novo coronavírus 

Pesquisadores da UNIFAL-MG, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), estão desenvolvendo um estudo para auxiliar o combate ao coronavírus. O jornal EPTV 1ª edição exibiu uma reportagem sobre o tema, com a presença do professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da UNIFAL-MG, Deive Ciro de Oliveira, que explicou a pesquisa.

Segundo o jornal, os dados usados inicialmente são fornecidos pelas Secretarias Estaduais de Saúde de Minas Gerais e de São Paulo. “É relevante falar sobre Minas Gerais, sobre a nossa realidade, e de São Paulo, porque é um dos estados vizinhos que está enfrentando a pandemia e a disseminação do vírus. Futuramente, a gente quer fazer estudos comparativos e não ficar só em Minas e São Paulo”, disse o docente.

Todas as informações são dispostas em um mapa animado, que registra as cores conforme a situação de cada cidade. Quanto mais escuro, maior o número de casos confirmados.

Nos próximos meses da pesquisa, a intenção é tentar prever como o vírus poderá se comportar no futuro.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/8665596/

*Milena Favalli Simão é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap