Professor da UNIFAL-MG esclarece sobre o efeito do calor e da umidade na transmissão da Covid-19

Em entrevista ao vivo para o Jornal Bom Dia Cidade da EPTV Sul de Minas, no dia 9/10, o professor Sinézio Inácio da Silva Júnior, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas,  esclareceu sobre a relação do calor e da umidade na transmissão do novo coronavírus causador da Covid-19.  De acordo com a matéria, circulam nas redes sociais vídeos que afirmam que, com o calor, o risco de transmissão é reduzido.  Sobre isso, o docente disse que, de fato, o calor e a umidade não favorecem a sobrevivência do vírus em superfícies.

Porém, conforme o epidemiologista, o calor ou a umidade não impedem a transmissão do vírus pelo ar devido às gotículas emitidas pelos infectados por meio da fala, tosse ou espirro. Na reportagem, Sinézio Jr. ainda reforçou as medidas de prevenção, enfatizando que o momento não é de relaxamentos. Segundo o professor, é necessário continuar com as medidas de prevenção, como o uso da máscara, o distanciamento social, a higienização e evitar tocar o rosto.

Citando o exemplo da cidade Manaus, ele ressaltou que o calor e a umidade daquela região não impediu a transmissão do coronavírus. “O exemplo de Manaus, que tem uma umidade do ar bastante alta e muito calor, deve nos inspirar. Ali a transmissão foi alta e, novamente, temos notícias de uma ascendente lá. E como é que você estaria explicando isso? Proximidade das pessoas e a falta de cuidado com essas medidas de prevenção […]”.

Assista a matéria:

 

 

Confira a participação do docente: https://globoplay.globo.com/v/8926019/programa/

Colaboração: Túlio Rabelo, estagiário de Comunicação Social da UNIFAL-MG campus Varginha.

Copy link
Powered by Social Snap