Controle do nível do Lago de Furnas depende da “saída” de água na hidrelétrica, aponta professor da UNIFAL-MG

Na quinta-feira, dia 7/1, o Jornal da EPTV 2ª Edição exibiu uma reportagem sobre o Lago de Furnas, que mesmo com as recentes chuvas, ainda se encontra em um nível baixo. De acordo com a matéria, o nível dos rios afluentes que formam o lago podem contribuir com o armazenamento e ajudar o lago a atingir a cota 762, ou seja, 762m acima do nível do mar.

O professor Clibson Alves dos Santos,  do curso de Geografia da UNIFAL-MG, acredita que os rios vêm, de fato, contribuindo com o armazenamento de água de Furnas. “Alterações, interferências e quaisquer tipos de mudanças naturais ou antrópicas (provocadas pelo homem), elas vão interferir neste acumulo de água do próprio reservatório. Então, eles são na verdade os formadores do reservatório de Furnas”.

A reportagem também ouviu outros especialistas da Universidade Federal de Lavras, Defesa Civil de Três Corações e um ambientalista que desenvolve ações no Rio Verde, na região de Varginha. No encerramento da matéria o professor Clibson dos Santos enfatizou: “O nível elevado que as chuvas trazem para esses rios, vão formar o reservatório. […]  o que controla mesmo o nível é a saída de água pela usina. É mais ou menos isso que acontece. Então não adianta chover muito, mas se a saída também é grande não vai resultar em nada”.

Confira a reportagem completa:

Disponível em https://globoplay.globo.com/v/9160759

Colaboração: Túlio Rabelo, estagiário de Comunicação Social da UNIFAL-MG campus Varginha

Copy link
Powered by Social Snap