Pesquisa da UNIFAL-MG sobre indicadores de Covid-19 é destaque no G1; orientador do estudo comenta dados do sul de Minas Gerais após adoção de Onda Roxa

O portal de notícias G1 Sul de Minas publicou, no dia 26/03, uma matéria sobre a situação da pandemia de Covid-19 no sul de Minas Gerais. Após uma semana de Onda Roxa, a região apresentou um aumento na média de casos em 39%, conforme estudo realizado pela UNIFAL-MG, com base nos boletins epidemiológicos divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Para comentar os dados da pesquisa, participou da matéria o professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNIFAL-MG e orientador da pesquisa, Sinézio Inácio da Silva Júnior.

As informações registradas no estudo apontam que o curto período tempo de Onda Roxa ainda não é suficiente para avaliar a queda ou o aumento de casos durante as restrições, visto que, de acordo com o Prof. Sinézio Inácio, os benefícios das medidas mais restritivas só serão, de fato, compilados de uma a três semanas após fim destas.

No que se refere ao aumento na média de casos em 39%, a pesquisa da UNIFAL-MG aponta que “os números, infelizmente, são coerentes com o pouco tempo decorrido e o baixo índice de isolamento social vivido no estado [33%] e região sul [32%]. São necessários índices acima de 60% para maior efetividade no controle e diminuição dos casos, o que nunca aconteceu desde o início da pandemia em Minas Gerais”. Ainda conforme a pesquisa, entre as dez maiores cidades, apenas Varginha se manteve na média. Como um todo, a região aumentou em oito vezes o número de casos.

Itajubá foi a única a apresentar melhora no quadro de contaminações pela Covid-19. “A curva de casos não é das piores, mas a de mortes é destaque negativo. Sob esse impacto das mortes, preocuparam-se mais em reduzir casos”, explicou o docente da UNIFAL-MG ao G1.

Leia a matéria na íntegra: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2021/03/26/covid-19-media-de-casos-sobe-39percent-no-sul-de-mg-apos-uma-semana-de-onda-roxa.ghtml

Saiba mais sobre a pesquisa realizada pela UNIFAL-MG: https://www.unifal-mg.edu.br/portal/2021/03/26/uma-semana-de-onda-roxa-em-minas-gerais-foi-insuficiente-para-reverter-o-quadro-epidemiologico-aponta-estudo-da-unifal-mg/

O jornal online Equipe Positiva de Três Pontas/MG replicou a matéria do G1, dando ênfase aos dados relativos a Três Pontas: https://www.equipepositiva.com/mesmo-com-onda-roxa-contaminacoes-em-tres-pontas-cresceram-22/

Copy link
Powered by Social Snap