Em entrevista, docente da UNIFAL-MG destaca aumento de mortes de pessoas mais jovens, com ou sem comorbidades, por Covid-19

Em participação ao vivo no jornal Bom Dia Cidade do dia 15/4, o professor Sinézio Inácio da Silva Júnior, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNIFAL-MG, esclareceu o aumento, em 2021, de mortes de pessoas mais jovens por Covid-19, conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

De acordo com o docente, a circulação da variante P1 e de outras mutações com maior transmissibilidade da doença  potencializaram esse cenário no sul de Minas, assim como em todo o estado. A exaustão e a não adesão às medidas de prevenção por parte dos mais jovens foram outros fatores apontados pelo professor para o aumento de mortes dos jovens, que também são os que mais se expõem devido à necessidade, muitas vezes, de trabalhar fora de casa.

“E tem um dado também muito interessante, que em termos de comorbidade e não comorbidade nesta faixa etária, em Minas Gerais isso está meio a meio, quer dizer, aqueles que não tinham comorbidade estão sendo atingidos tanto quanto, em termos de mortes, os que têm. No Sul de Minas, ainda a coisa está entre 40% das mortes em quem não tem comorbidades e 60% em que tem. Isso significa que a variante mais transmissível ainda pode não estar tão intensa na circulação na região”, enfatiza Sinézio

Perguntado se o avanço da imunização nos idosos contribuiu para os dados, o professor afirmou que sim, destacando indicadores que comprovam a questão.

Confira a reportagem completa:

Disponível neste link: https://globoplay.globo.com/v/9437600/

O assunto também foi destaque no G1 Sul de Minas: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2021/04/15/numero-de-vitimas-da-covid-19-entre-20-e-39-anos-dobra-no-sul-de-minas-em-2021.ghtml

Copy link
Powered by Social Snap