Clínica de Fisioterapia da UNIFAL-MG realiza atendimentos para recuperação funcional de pacientes que apresentam sequelas da Covid-19; Ambulatório de Reabilitação conta com grupo especializado de docentes e discentes da Universidade

Cansaço, falta de ar, dores articulares e musculares, tosse e fraqueza são algumas das complicações que podem acompanhar pacientes recuperados de Covid-19 meses após o contágio, mesmo em pessoas que apresentaram quadros leves da doença. A fim de ajudar pacientes no processo de recuperação dessas possíveis sequelas, discentes do 10° período do curso de Fisioterapia da UNIFAL-MG, em atividades de estágio obrigatório, passaram, em maio, a atender a população da região no “Ambulatório de Reabilitação Pós-Covid19”, na Unidade Educacional Santa Clara. No total, já foram realizadas cerca de 100 intervenções.

Com o apoio de um grupo especializado constituído pelos docentes Aline Roberta Danaga, Carmélia Bomfim Jacó Rocha, Carolina Kosour, Juliana Bassalobre Carvalho Borges e Lucas Emmanuel Pedro de Paiva Teixeira, do Instituto de Ciências da Motricidade da UNIFAL-MG, o atendimento se baseia em um plano de cuidados individualizado e monitorizado, com exercícios para a promoção de recuperação funcional e resolução ou alívio dos sintomas persistentes.

São encaminhados ao setor, geralmente pela rede básica de saúde, os pacientes que apresentam estabilidade clínica, com período de 21 a 30 dias após o diagnóstico de Covid-19. “Os pacientes passam por uma avaliação detalhada, a qual aborda, para além do estado físico e funcional, possíveis sintomas persistentes da Covid-19, bem como aspectos cognitivos, de qualidade de vida e de qualidade de sono”, explicou a professora Aline Danaga à Dicom.

Foto: Arquivo/Setor de Reabilitação Pós-Covid19

Segundo ela, os atendimentos ocorrem em ambiente amplo e adequado à prática segura de atividade, com base em plano terapêutico modulado à condição física de cada paciente, sob supervisão de equipe devidamente paramentada com equipamentos de proteção individual. “E os resultados são positivos: após completar um mês de atendimentos, já é possível verificar uma resposta interessante dos pacientes assistidos, com remissão de sintomas e melhora funcional destes”, destacou.

Prova disso é o caso da paciente Kátia M. C. Vieira, que iniciou o acompanhamento no Ambulatório no 7° mês após a Covid-19. “Passei a sentir uma dificuldade muito grande para respirar, era como se fosse um sufocamento bem grande, pois não tinha o ar livre. Eu apresentava dificuldade de andar um quarteirão, coisa que não tinha antes”, relatou. De acordo com ela, as sequelas do período após a infecção não passavam, mas, com a abordagem da Fisioterapia Respiratória, foi possível respirar livremente. “Foi até uma parte emocionante, porque eu já estava até desanimada de respirar, achei que fosse ser permanente essa sequela. Hoje, já consigo fazer minhas caminhadas tanto de manhã quanto a noite, com melhora bem grande, principalmente pulmonar”, completou.

No momento, a atuação no ambulatório, que realiza atendimentos às segundas e quartas-feiras no período da tarde e às segundas e terças-feiras no período da manhã, conta com a participação de grupos com seis alunos de Graduação, em sistema de rodízios. “Ao longo do semestre, passarão seis grupos, totalizando 36 alunos do último ano, os quais estão se formando com a experiência de um cuidado novo, que reforça o exercício da interdisciplinaridade, da prática baseada em evidências e de muita responsabilidade”, explicou a Profa. Aline Danaga.

Para o discente Lucas Belmiro de Siqueira Pires, do curso de Fisioterapia da UNIFAL-MG, essa é uma oportunidade para, com base em conhecimentos teóricos e práticos, balizar sua formação. “Com o estágio, tive a grande oportunidade de aprender sobre a reabilitação de pacientes que tiveram Covid-19 e acabaram permanecendo com sequelas da doença. Posso dizer que, hoje, me sinto preparado para atender fora da Universidade, após formado”, enfatizou o discente. O universitário Lucas Belmiro já recebeu, inclusive, propostas de emprego para atender em ambulatório de Pós-Covid19. “Agradeço muito à UNIFAL-MG e a todos meus professores que colaboraram para o profissional bem preparado e capacitado que estou me tornando hoje”, finalizou.

A realização segura dos estágios conta com comprometimento de todos os discentes, docentes, técnicos e terceirizados envolvidos na dinâmica da Clínica Escola, e com o apoio e empenho da Coordenação do Curso de Fisioterapia, das Comissões de Estágio e de Biossegurança, da Direção do ICM e das Pró-Reitorias e Reitoria da UNIFAL-MG.

Para o futuro, a perspectiva é que o Ambulatório de Reabilitação Pós-Covid19 continue como atividade regular do estágio em Fisioterapia, haja vista a elevada demanda local de pessoas recuperadas e a necessidade de se garantir maior qualidade de vida aos pacientes, permitindo a realização de atividades rotineiras e laborais comprometidas após a infecção, bem como a prevenção de novas condições ou complicações que possam agravar a saúde.

Os atendimentos podem ser encaminhados para a Clínica de Fisioterapia, pelo telefone (35) 37011900. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail fisio.poscovid@unifal-mg.edu.br.

Foto: Arquivo/Setor de Reabilitação Pós-Covid19

 

Copy link
Powered by Social Snap