:: Boletim Epidemiológico N° 37 – 30/08/2021 – Situação epidêmica de Covid-19 em Minas Gerais e no sul de Minas

A edição nº 37 do boletim IndCovid aponta oscilação de indicadores, mesmo de incidência, em algumas regiões mineiras e no estado devido ao relaxamento da prevenção e pequena cobertura vacinal completa. Isso indica que a pandemia não está controlada, independente do efeito da variante delta, que ainda é pequeno. De acordo com os pesquisadores, a vacinação se consolidou não só como medida preventiva de casos graves, mas também de novos casos, pois se estivéssemos apenas dependentes dos cuidados preventivos, que estão sendo relaxados, não estaríamos hoje com a trajetória da queda da incidência.

Panorama da incidência, internações e mortes no estado: apesar da constatação, Minas Gerais iniciou a semana voltando à estabilidade na tendência de novos casos, devido à manutenção da estabilidade nas regiões Centro e Centro Sul, piora (queda para estabilidade) nas regiões Leste, Sudeste e Noroeste e, principalmente, a piora (estabilidade para crescimento) na tendência da incidência na região Oeste. A média diária de novos casos na semana ficou em 2.782, valor abaixo do registrado em 01 de dezembro de 2020. O estado voltou a registrar tendência de queda nas internações, especialmente pela correção no número de internações nas regiões Sul e Nordeste. A região Oeste foi a única que apresentou tendência de crescimento nesse indicador e em 10 das 14 regiões se registrou queda. Em novos óbitos, apenas a região Vale do Aço registrou aumento, estabilidade nas regiões Centro, Leste e Triângulo Sul e tendência de queda nas demais. A média móvel de óbitos de 66, registrada nesta última segunda-feira é a mais baixa desde 07 de janeiro em Minas Gerais. A região Sul e o estado, continuam com decrescentes taxas de incidência diária média na semana; nas duas últimas semanas epidemiológicas, todas as regiões registraram diminuição nesse indicador, exceto as Noroeste e Oeste que tiveram aumento.

Panorama da incidência, internações e mortes na região sul de Minas: assim como em Minas Gerais, a média diária de novos casos na semana no Sul de Minas apresentou valor abaixo do registrado antes do início deste ano, ficando em 373, que é menor do que o registrado em 16 de dezembro de 2020. Continuando a destoar dessa tendência de queda na incidência, a regional de Passos segue registrando estabilidade na tendência de novos casos. Em novas internações, todas as regionais, exceto a de Passos com estabilidade, registraram queda na tendência. A tendência de novos óbitos se apresentou em queda em todas as regionais pela segunda semana seguida. A semana se iniciou com a região Sul registrando uma média diária de 9 novos casos na semana. Estamos nos aproximando do valor desse indicador registrado em primeiro de janeiro deste ano (que foi 7) e já superamos o registrado em 16 de janeiro (que foi 10). A trajetória de indicadores na regional de Passos merece atenção porque praticamente há um mês ela tem se diferenciado para pior do observado na região Sul e nas suas demais regionais de saúde.

Destaques positivos: todos os dez municípios sul mineiros mais populosos registraram tendência de queda na incidência no início desta semana. Também em novas internações a tendência predominante entre esses municípios foi de queda, exceto Lavras, Itajubá, Três Corações e Três Pontas que registraram tendência de aumento, com destaque negativo para Itajubá que pela terceira semana seguida manteve tal tendência. Com exceção de Pouso Alegre, Passos e Itajubá, que registraram aumento na tendência de novos óbitos, os demais municípios registraram queda nesse indicador. Outro destaque positivo foi a diminuição no valor do Índice de Óbito por Internação na região Sul, refletindo a situação de todas as regionais, exceto a de Pouso Alegre. Coerente com esse quadro, no acumulado em toda a pandemia, houve diminuição também em todas as regionais de saúde do Sul de Minas do Índice de Internação por Caso. Acesse na íntegra

Copy link
Powered by Social Snap