:: Boletim Epidemiológico N° 40 – 20/09/2021 – Situação epidêmica de Covid-19 em Minas Gerais e no sul de Minas

O número 40 do boletim IndCovid apresenta resultados de comparação de taxas de mortalidade por Covid-19 entre faixas etárias. Considerando toda a pandemia em Minas Gerais, o risco de uma pessoa de 60 anos ou mais morrer por Covid-19 foi 512 vezes maior do que para os adolescentes (10 a 19 anos). Quando essa comparação considera apenas os de 80 anos ou mais, o risco chega a ser 1.149 vezes maior. Na região Sul esses números são, respectivamente, 455 e 1.059.

Comparação de taxas de mortalidade por Covid-19 em agosto em Minas Gerais: considerando apenas agosto deste ano, um idoso em Minas Gerais teve um risco 915 vezes maior de morrer por Covid-19 do que os adolescentes. São resultados de comparação de taxas de mortalidade por Covid-19 entre faixas etárias, o que não muda o fato de que desde maio deste ano o risco de morte por Covid-19 entre os idosos vem diminuindo. Durante toda a pandemia até julho em Minas Gerais ocorreu uma morte a cada 46.512 adolescentes de 10 a 19 anos. Entre os idosos houve uma morte a cada 91 idosos. A comparação serve para dar a dimensão do quanto mais vulneráveis são os idosos e não quer dizer que não devamos vacinar a população mais jovem, inclusive as crianças, que apresentam, na faixa de 0 a 9 anos, taxa de mortalidade maior do que a dos adolescentes. É um alerta para que, num quadro de escassez de doses, seja priorizada a dose de reforço da população mais vulnerável.

Taxas de mortalidade por Covid-19 nas regiões mineiras: considerada toda a pandemia até julho deste ano,  comparando a taxa de mortalidade por Covid-19 entre as 14 regiões mineiras, a Sul teve a 9ª maior, a Triângulo do Norte a maior e a Jequitinhonha a menor. Esses resultados podem ter sido influenciados para pior nas regiões que tiveram a pior evolução da incidência em julho, que têm no total de idosos maior proporção com 60 anos ou mais (mais expostos ao contágio) e maior proporção com 80 anos ou mais (pior resposta e maior decaimento vacinal).

Internações, novos casos e mortes: Minas Gerais iniciou a semana com estabilidade em novos casos e novos óbitos. O estado manteve a tendência de crescimento nas internações, o que deve ser visto com cautela por registros atípicos de internação recentemente. A região Sul também apresentou estabilidade na tendência de novos casos, mas queda na de novas internações e óbitos. A semana se iniciou com manutenção da tendência de queda da incidência em Poços de Caldas, Pouso Alegre, Varginha, Itajubá, Alfenas e Três Pontas. Três Corações manteve a estabilidade, Lavras o crescimento e São Sebastião do Paraíso foi de queda para crescimento. Em novas internações, Pouso Alegre, Varginha e Três Corações mantiveram queda, registrada também em Poços de Caldas e São Sebastião do Paraíso. Passos foi de estabilidade para crescimento e Lavras de queda para crescimento. Itajubá se manteve estável e Três Pontas foi de estabilidade para crescimento. Em novos óbitos, apenas Pouso Alegre oscilou de queda para crescimento, com os demais em queda. Acesse na íntegra

Copy link
Powered by Social Snap