Em reportagem, docente da UNIFAL-MG fala sobre causas da queda no nível do Lago de Furnas e destaca importância de medidas de gestão das bacias hidrográficas

O baixo volume de água da represa de Furnas, assim como a consequência dessa queda para comerciantes, foi tema da reportagem do Jornal da EPTV 1ª edição, exibida no dia 2/10. Na ocasião, o professor do Instituto de Ciências da Natureza (ICN) da UNIFAL-MG, Marcelo de Oliveira Latuf, comentou as causas da redução no nível de água.

Considerada uma das principais fontes de abastecimento de energia do sistema sudeste e centro-oeste, atualmente, a represa de Furnas opera com apenas 14,39% de sua capacidade, dado que afeta comércios dependentes do nível de água para o desenvolvimento do turismo local. Esse volume de água foi estimado o mais baixo dos últimos vinte anos, e a expectativa dos especialistas é de que o nível piore ainda mais.

O professor Marcelo Latuf, especialista em Hidrogeografia, explica que essa crise histórica não é consequência somente da falta de chuva. “Diversos problemas podem ser identificados, como: desmatamento, queimada, não respeito às áreas de proteção permanente”, salienta o docente.

Ainda na oportunidade, o docente aponta para uma possível solução do problema. “A gente vai depender de uma gestão compartilhada de verdade […] uma gestão compactuada entre as partes, para que a gente possa ter novamente o reservatório em cotas satisfatórias para o atendimento dos diversos usuários de recursos hídricos”, complementa.

Confira a reportagem completa no link abaixo:

Disponível também no link: https://globoplay.globo.com/v/9912270/

*Jaíne Reis Martins é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap