:: Boletim Epidemiológico N° 43 – 11/10/2021 – Situação epidêmica de Covid-19 em Minas Gerais e no sul de Minas

O boletim IndCovid nº 43 destaca o início do controle da pandemia no estado e na região sul de Minas, mas chama a atenção para o ritmo de mortes que não acompanha a diminuição de novos casos. “Graças à vacinação, começamos a controlar a pandemia em Minas Gerais e na região Sul já há alguns meses. Contudo, a diminuição de novos óbitos não tem tido o mesmo ritmo da diminuição de novos casos”, afirmam os pesquisadores. Uma das possíveis explicações é a velocidade da vacinação e do afrouxamento de medidas preventivas. Com a predominância da variante delta é muito necessária a segunda dose para maior proteção. Minas Gerais ainda apresenta metade da população total sem a segunda dose e a dose de reforço está em seu início. Isso faz com que pessoas com baixa ou diminuída imunidade estejam convivendo com importante circulação viral. O Brasil testa, prioritariamente, pessoas sintomáticas. Mas, com o avanço da vacinação, é natural que o número de sintomáticos diminua, sem diminuir na mesma medida o número de infectados e potenciais transmissores. Portanto, somando o relaxamento no cuidado com a falta ou decaimento de proteção vacinal, casos graves podem surgir.

Situação em Minas Gerais:  Minas Gerais iniciou a semana (dia 11/10) com tendência de queda em novos casos, apresentando em média 1565 novos casos por dia na semana. Em novos óbitos a tendência permaneceu estável, com uma média móvel na semana de 41. A tendência de novas internações foi de diminuição para crescimento no estado, indo de 171 para 235 novas internações em média diária na semana. Houve grande aumento de internações no triângulo mineiro e nas regiões Leste, Leste sul e Oeste. Em taxa de incidência diária média na semana, com exceção das regiões Noroeste e Triângulo do Sul, todas as regiões mineiras, assim como o estado, registraram os menores valores deste ano.

Situação no Sul de Minas: a região Sul foi de estabilidade para diminuição em novos casos. Todas as regionais também registraram queda na incidência. Com relação às novas internações, o Sul de Minas permaneceu em estabilidade; as regionais de Pouso Alegre e Varginha que estavam com crescimento, iniciaram a semana com queda, ao contrário das regionais de Alfenas e Passos que registraram crescimento. Quanto à tendência de novos óbitos, a regional de Alfenas foi a única que foi de diminuição para estabilidade. A regional de Passos manteve a queda e a de Pouso Alegre e Varginha o crescimento. Assim, o Sul de Minas, como um todo, apresentou estabilidade em novos óbitos.

Situação nos 10 municípios mais populosos da região sul de Minas: a semana iniciou com tendência de queda em novos casos em Poços de Caldas, Pouso Alegre, Varginha, Alfenas, Três Corações, São Sebastião do Paraíso e Três Pontas. Apenas três municípios, dos dez mais populosos, apresentaram tendência de crescimento de novos casos: Passos, Lavras e Itajubá. Em novas internações, Poços de Caldas, Três Corações e Passos registraram crescimento, sendo que os dois primeiros pela terceira semana consecutiva; Pouso Alegre permaneceu em estabilidade e os demais (Varginha, Lavras, Itajubá, Alfenas, São Sebastião do Paraíso e Três Pontas) registraram diminuição. Destaque positivo para Varginha e Alfenas que registraram diminuição por 4 semanas seguidas na tendência de novas internações. Apesar dessa boa evolução no município de Alfenas em internações, a regional de Alfenas registrou crescimento na tendência desse indicador. O IIC (Índice de Internação por Caso) da regional de Alfenas também voltou a crescer de 0,06 a 0,07. Acesse na íntegra

Copy link
Powered by Social Snap