Minas Gerais: no estado em que menos investiu em saúde em 2020 a Covid-19 se alastra pelo interior

Quinta-feira, 27 de agosto de 2020


Por Thiago Rodrigues Silame (doutor em Ciência Política pela UFMG e professor da UNIFAL-MG);  Larissa Peixoto Gomes (doutora em Ciência Política pela UFMG) e Helga do Nascimento de Almeida (doutora em Ciência Política pela UFMG e professora da Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF)

Região: Sudeste
Estado: Minas Gerais
Governador (Partido): Romeu Zema (NOVO)
População: 21.168.791 (IBGE,2019)
Número de municípios: 853
Casos confirmados em 23/08/2020: 194.614
Óbitos confirmados em 23/08/2020: 4.790
Casos por 100 mil habitantes: 904,7
Óbitos por 100 mil habitantes: 22,4
Decreto estadual em vigor no dia 23/08/2020: Plano Minas Consciente
Índice de isolamento social no estado: 42,2%

O governador de Minas Gerais parece viver em uma realidade paralela. Romeu Zema, em entrevista, afirmou: “Eu posso estar enganado, mas, para mim, minha opinião pessoal, é que daqui um ano, quando nós fizermos uma retrospectiva, nós vamos ver que o Brasil, dentro de um contexto mundo, comparado inclusive com países desenvolvidos, não fez um trabalho tão ruim como muitos têm alardeado”.1 Seguiu tecendo comparações com outros países e utilizou a Itália como parâmetro. A comparação entre Brasil e Itália considerou apenas o número absolutos de caso de morte. Se os dados são ponderados por milhões de habitantes, de fato a Itália apresenta um número superior de mortes, mas a mesma ponderação para número de casos mostram que o Brasil supera e muito o país europeu. Um outro dado não considerado por Zema é que a Itália é o segundo país do mundo em número de idosos, estando atrás apenas do Japão, grupo populacional que tem maior probabilidade de desenvolver a forma grave de doença e vir a falecer. Novamente, fica explícito o alinhamento do governador do NOVO ao Presidente Jair Bolsonaro.

Zema também vive em uma realidade paralela quando considera a  situação do estado. Desde o mês de julho, Minas Gerais vem apresentando aumento no número de casos e de óbitos por COVID-19 (Gráficos 1 a 4). Considerando estes números e a tendência de alta, não temos nem gasto mínimo constitucional na área da saúde (Tabela 1) e nem eficiência nos gastos. Um bom exemplo de ineficiência de utilização do dinheiro público por parte do governo de MG está relacionada à instalação e não funcionamento do Hospital de Campanha em BH que foi desativado no último dia 172. O hospital custou R$5,3 milhões aos cofres públicos.

Tabela 1 – Gasto em saúde dos estados de janeiro a junho, Brasil, 2020

Fonte: O Tempo. Disponível em: <https://www.otempo.com.br/cidades/minas-e-o-estado-que-menos-gasta-com-saude-em-tempos-de-pandemia-da-covid-19-1.2370447>. Data de Acesso: 20/08/2020.
* Dados disponíveis até o segundo semestre do ano.
**Tocantins não apresentou os dados.

Gráfico 1 – Total de óbitos por Covid-19, Minas Gerais, Brasil, 2020.

Fonte: Consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de saúde. Disponível em: <http://especiais.g1.globo.com/bemestar/coronavirus/estados-brasil-mortes-casos-media-movel/?&_ga=2.52636392.1189097803.1597877720-f8991389-79d3-0e99-81b9-ae32e98a43f4#/>. Data de Acesso: 21/08/2020.

 

Gráfico 2 – Óbitos por dia por Covid-19, Minas Gerais, Brasil, 2020.

Fonte: Consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de saúde. Disponível em: <http://especiais.g1.globo.com/bemestar/coronavirus/estados-brasil-mortes-casos-media-movel/?&_ga=2.52636392.1189097803.1597877720-f8991389-79d3-0e99-81b9-ae32e98a43f4#/>. Data de Acesso: 21/08/2020.

 

Gráfico 3 – Total de casos de Covid-19, Minas Gerais, Brasil, 2020.

Fonte: Consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de saúde. Disponível em: <http://especiais.g1.globo.com/bemestar/coronavirus/estados-brasil-mortes-casos-media-movel/?&_ga=2.52636392.1189097803.1597877720-f8991389-79d3-0e99-81b9-ae32e98a43f4#/>. Data de Acesso: 21/08/2020.

 

 Gráfico 4 – Casos de Covid-19 por dia, Minas Gerais, Brasil, 2020.

 Fonte: Consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de saúde. Disponível em: <http://especiais.g1.globo.com/bemestar/coronavirus/estados-brasil-mortes-casos-media-movel/?&_ga=2.52636392.1189097803.1597877720-f8991389-79d3-0e99-81b9-ae32e98a43f4#/>. Data de Acesso: 21/08/2020.

 

A interiorização da pandemia no estado de Minas Gerais também impressiona (Mapa 1). De acordo com dados dos boletins, 97% (827) dos municípios registram casos de contaminação por Covid-19, um aumento de 8,4% em relação ao mês de julho, e 56% dos municípios (456) já registram óbitos até esta data, um aumento de impressionantes 21,1% em relação à julho. A doença saiu da capital, Belo Horizonte, e avançou fortemente na região do Triângulo Mineiro, onde estão cidades como Uberaba, Uberlândia e Araguari.

Mapa 1 – Casos Covid-19, Minas Gerais, julho de 2020.

Fonte: SILVA, Cristovão Henrique Ribeiro da. Atlas COVID-19. UFAC. (2020)

É importante ressaltar que Minas Gerais é um dos estados com uma das mais altas taxas de subnotificação. Isso vem em parte da falta de testes, assim como mudanças na contagem feita pelo estado. Faltam detalhes nos dados, como sexo e cor/raça e etnia. Usando os dados do InfoGripe/Fiocruz, vemos que há uma alta “inexplicável” em casos e óbitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave sem associação à COVID-19 entre 2019 e 2020. Em 2019, foram 3.110 casos e 428 óbitos por SRAG e SRAG por influenza, durante o ano todo. Por sua vez 2020, apresenta 18.689 casos e 3.141 óbitos (até a escrita deste artigo), uma alta que só pode ser explicada pelo avanço do COVID-19 no estado e que não está notificada nos dados oficiais.

Gráfico 5 – Média semanal de casos de SRAG reportados por ano e tipo, Minas Gerais, Brasil, 2020.

 Fonte: Infogripe/Fiocruz. Elaborado pelos autores.

Gráfico 6 – Média semanal de óbitos por SRAG reportados por ano e tipo, Minas Gerais, Brasil, 2020.

Fonte: Infogripe/Fiocruz. Elaborado pelos autores.

Assim como para Bolsonaro, Zema acredita que o principal problema ocasionado pela pandemia é a consequência econômica e, não o controle à COVID-19. O governo parece estar mais interessado em emplacar o seu protocolo para reabertura de atividades econômicas, o Minas Consciente. O programa que já passou por duas reformulações, por ser muito confuso nas suas formulações iniciais. Sendo assim, Minas Gerais continua seu caminhar pela pandemia, sem saber exatamente onde está pisando, por onde está indo, qual caminho seguir ou qual seu destino. O que Zema parece não entender é que enquanto estivermos neste mundo de incerteza sobre a pandemia, não há economia que aguente.


  1. https://www.otempo.com.br/brasil/romeu-zema-considera-que-brasil-nao-esta-tao-ruim-no-combate-a-pandemia-1.2367714 . Data de Acesso 20/08/2020.
  2. https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2020/08/17/interna_gerais,1176794/profissionais-do-hospital-de-campanha-vao-atender-unidades-da-fhemig.shtml. Data de Acesso: 20/08/2020.

 

* Publicado originalmente no jornal Estadão em 26 de agosto de 2020, neste link, o artigo faz parte do projeto em parceria com a ABCP organizado pela professora Luciana Santana (Ufal)  intitulado: Os governos estaduais e as ações de enfrentamento à pandemia de Covid-19 no Brasil.

Copy link
Powered by Social Snap