Docente da UNIFAL-MG apresenta jogos para aula de artes no programa “Um Fato, Duas Visões”

Em entrevista ao programa semanal “Um Fato, Duas Visões”, da TV PUC-SP, o professor do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL) da UNIFAL-MG, Ronaldo Auad, conversou sobre a proposta de jogos que reúnem referências sonoras, visuais e verbais nas aulas de artes. Na oportunidade, o docente explicou o funcionamento do trabalho desenvolvido em escolas de Alfenas por meio de atividades que colocam os alunos em contato com diversas linguagens.

De acordo com o docente, o jogo tem início a partir do lançamento de dados que contêm nome de pintores, músicos e poetas. Após a jogada por três vezes consecutivas, o aluno configura uma combinatória com artistas representantes de cada arte (sonora, visual e verbal). “Essa combinatória tem, por exemplo, Heitor Villa Lobos, Tomie Ohtake e Ana Cristina César. A partir disso, a ideia é articular os três nomes”, explicou.

Como tarefa, os alunos devem utilizar sites para procurar as obras dos artistas da combinação a fim de de criar e editar um vídeo de até dois minutos. “A ideia é usar o jogo para a aprendizagem de como é a arte. Nos jogos, crianças, jovens e adultos buscam, na hipermídia, referências sonoras, visuais e verbais”, afirmou o professor ao contar que, nas últimas atividades, foram trabalhados artistas modernos e contemporâneos da arte brasileira.

Além de jogos lúdicos, o Prof. Ronaldo também falou sobre a importância de inserir nomes não tão conhecidos nas aulas de arte, como é o caso da artista plástica Mira Schendel. Com o objetivo de aproximar os alunos da estética de Mira, o docente realiza experiências táteis para que a produção da artista seja apreciada. “Proponho trabalhos com suportes como papel de seda, que são bem finos, pincel e água. A partir do momento que a criança ou o jovem inscreve um círculo com pincel e água sobre um papel fino, ele deixa de ser um suporte e reage à água. A dicotomia entre inscrição e suporte desaparece e isso é uma chave para estudar Mira Schendel”, declarou.

Sobre a questão da apreciação estética presente nas diretrizes educacionais, o professor falou da capacidade que crianças apresentam para se envolver no universo artístico. Ao final da entrevista, o Prof. Ronaldo falou sobre a sua linha de pesquisa no grupo “FORMATIO: Processos na Formação e Profissionalidade Docente”, liderado pela professora do ICHL, Ana Cristina Gonçalves de Abreu Souza. “Na minha linha de pesquisa, eu trabalho com a inserção dessa complexidade da arte para retirar os vícios de uma interdisciplinaridade muito previsível, que não coloca o simbólico da cultura em relevo”, finalizou.

Confira a entrevista na íntegra:

Vídeo disponível também no link: https://www.youtube.com/watch?v=DcMICsjkSXk&feature=youtu.be

*Milena Favalli Simão é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

 

Copy link
Powered by Social Snap