UNIFAL-MG vai promover discussões sobre igualdade racial durante atividades educativas e culturais programadas para o mês de novembro

No dia 20 de novembro, comemora-se o Dia Nacional da Consciência Negra, data instituída com o objetivo de promover a educação das relações étnico-raciais. Para celebrar a data, durante todo o mês de novembro, a UNIFAL-MG realizará o evento “Vidas negras na cidade e na universidade: existências e resistências”, que contará com atividades como palestras, mesas-redondas e apresentações culturais que ocorrerão dentro e fora da Universidade.

Nesta sexta-feira, 01/11, estudantes de escolas de Ensino Médio de Alfenas, Machado e Poço Fundo participam de concurso de cartazes sobre o tema “Consciência Negra na Escola”, que conta com a orientação do professor Elias Gomes, do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL).

A solenidade de abertura está agendada para segunda-feira, 04/11, quando ocorrerá o “3º Chá Preto: uma conversa sobre ancestralidade negra e saberes tradicionais” com a geógrafa e mestra em educação, Jairza Silva.

Ao longo do mês, o evento contará ainda com exposição de arte que abordará o tema “Olhares sobre as áfricas: existências e resistência”; exposição de acervo de livros sobre “História e Cultura Africana e Afro-brasileira”; exposição de fotos “Algo mudou? Marcha Zumbi 300 anos”; Feira do Livro; exibição de filmes sobre o “Cinema Negro” para o Ensino Fundamental e Ensino Médio e, ainda, encerramento e premiação do concurso de cartazes. A programação completa pode ser acessada aqui.

Sobre o evento

Sob a organização do professor Natalino Neves da Silva, do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), e da técnica em assuntos educacionais Nayhara Juliana Aniele Pereira Thiers Vieira, da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), o evento tem a finalidade de contribuir para conscientizar sobre as desigualdades raciais históricas verificadas na sociedade e promover a educação das relações étnico-raciais no sentido de ações formativas e valorativas da população negra brasileira e africana. “A proposta do evento é trabalhar com os estudantes as dimensões éticas e da formação cidadã, uma vez que refletir sobre a educação das relações étnico-raciais em nosso país pode ser considerado ainda um desafio”, afirma Prof. Natalino.

Conforme o coordenador, as atividades programadas buscam possibilitar uma reflexão sobre os dilemas enfrentados pelos estudantes, sobretudo, no contexto das políticas de ações afirmativas e dos direitos humanos, com o ingresso de jovens negros ao ensino superior. “A promoção dessas ações dizem respeito à garantia dos Direitos Humanos. Nesse sentido, garantir essas atividades tanto no âmbito da Universidade quanto fora dela significa garantir uma formação ética e social, inclusive, de ser aprofundada e discutida por estudantes em sala de aula, fora da Universidade e em suas comunidades”, reforça.

As inscrições para participar das atividades podem ser feitas pelo CAEX.

Copy link
Powered by Social Snap