Universitários dos cursos do campus de Poços de Caldas colam grau por webconferência; a solenidade foi a 17ª formatura virtual da Universidade em tempos de pandemia

Na manhã desta sexta-feira (27/11), a comunidade acadêmica da UNIFAL-MG celebrou mais uma vez, virtualmente, a formatura dos estudantes dos cursos de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia, Engenharia Ambiental, Engenharia de Minas e Engenharia Química, do campus Poços de Caldas. A cerimônia foi transmitida, ao vivo, pelo canal oficial da Instituição no YouTube.

A juramentista da 17ª formatura por webconferência da UNIFAL-MG foi a engenheira Rafaela Misael. (Crédito: arquivo pessoal)

Na 17ª formatura durante a pandemia de Covid-19, a engenheira Rafaela de Oliveira Misael, do curso de Engenharia de Minas, foi a juramentista da turma. De forma solene, ela requereu os graus em nome dos colegas que, um a um, confirmaram o juramento de serem profissionais fiéis aos preceitos da ética, da liberdade e da diversidade e de exercerem a profissão buscando a construção de uma sociedade livre, justa e solidária. O juramento solene da UNIFAL-MG  é baseado nos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil, destacados no artigo 3º da Constituição Federal.

Andressa Carolina Leite, formanda de Engenharia Ambiental, foi a oradora da turma e prestou homenagens aos pais, professores e colegas. A nova engenheira recordou os momentos de graduação, os desafios, as dúvidas e as alegrias da vida universitária: “chega a ser um pouco injusto dividir o campus Poços de Caldas em quatro cursos, não acham? Durante o BCT dividimos não só a grade acadêmica, mas também o amadurecimento pessoal e profissional. Quem aqui nunca pensou em trocar de curso? […] A interdicisplinaridade nos une enquanto equipe e nos amplia enquanto diversidade! Em tempos de pandemia aperta ainda mais a saudade do Calouro Cidadão, a Cervejada da Vulcana, dos Jogos InterUnifal, o SETEAMB, e claro, daquela expectativa gostosa pela Colação de Grau no Palace Casino, enfim, de poder estar junto”, falou.

Andressa Leite, nova engenheira ambiental graduada pela UNIFAL-MG, emocionou os colegas e professores com seu discurso. (Crédito: arquivo pessoal)

A oradora também exaltou o papel da UNIFAL-MG em seu discurso, lembrando das oportunidades que a Instituição oferece e da importância do ensino superior público, gratuito e de qualidade. “O ensino público é colocado, muitas vezes, em questionamento e estamos aqui como prova de cumprimento da missão e responsáveis por comprovar a qualidade do ensino aqui oferecido. Tivemos a oportunidade de ter contato com diferentes áreas, com os mais diversos conteúdos lecionados por excelentes mestres e doutores. Pudemos desenvolver projetos de iniciação científica, participar de empresas juniores, intercâmbios acadêmicos, movimentos estudantis, entre tantas experiências. Na UNIFAL-MG, coexistimos com a pluralidade! Lembremos sempre da Universidade como ela é hoje e que possa ser mantida, aprimorada e que seja sempre um espaço inclusivo de minorias”, disse Andressa.

O vice-coordenador da Engenharia Ambiental, Prof. Gunther Brucha, citou o brilhante desempenho dos acadêmicos do curso de Engenharia Ambiental no Enade, que pela segunda vez consecutiva foi avaliado com o conceito máximo, nota 5. “Isso demonstra o comprometimento do corpo docente, dos técnicos administrativos e gestores da nossa Universidade, mas, o mais importante é o amor e comprometimento que vocês tem pelo curso de Engenharia Ambiental e isso faz toda a diferença. Orgulhem-se disso, carreguem a UNIFAL-MG para sempre no coração de vocês e defendam a ideia de continuidade e fortalecimento das Universidades Federais, para que outras pessoas possam ter a oportunidade que tiveram”, afirmou.

Já o vice-diretor do Instituto de Ciência e Tecnologia, Prof. Marcelo Ribeiro Barison, aconselhou os novos profissionais a nunca se esquecerem de seus valores e preceitos éticos: “com responsabilidade social e profissional, serão cidadãos honrados, admirados e respeitados pela sociedade. Construam uma sociedade melhor, um mundo melhor”, pediu.

O diretor do campus Poços de Caldas, Prof. Leonardo Henrique Soares Damasceno, comentou o marco de transição que a formatura representa e o papel da Universidade na vida de todos que por ela passam. “Aqui é um ambiente de trocas. Enquanto você ensina, você também aprende. Enquanto você trabalha em grupo, você também consegue novos amigos. Enquanto você sofre com os desafios, você se torna mais resiliente. Enquanto você confraterniza, você guarda as lembranças para sempre. Enquanto aprendemos a resolver problemas, nós fazemos diferença no mundo”, disse.

O docente falou ainda sobre os tempos difíceis que estamos vivendo devido à pandemia, lembrando aos formandos que a área de atuação deles é de extrema importância para a sociedade: “o mundo de hoje é diferente do mundo de 9 meses atrás. Pandemia, afastamento social, mudanças nas relações de trabalho, ensino à distância, quanta mudança! Sim, somos cada vez mais dependentes da ciência e tecnologia e, de certa forma, me sinto mais tranquilo, pois acredito fundamentalmente que vocês farão a diferença frente a esses novos desafios da humanidade”.

No encerramento da cerimônia, o reitor, Prof. Sandro Amadeu Cerveira, responsável pela outorga dos graus, parabenizou os formandos e a atuação dos docentes, técnicos e gestores do campus Poços de Caldas. Em seu discurso, destacou o quanto custa para a sociedade manter o direito ao ensino superior público: “A Universidade pública não é de graça. O ensino é gratuito para aqueles estudantes que precisam e tem um direito constitucional a esse acesso, mas ela custa muito caro para todas as pessoas que constroem a riqueza do nosso país por meio de seu trabalho, do pagamento de impostos”. Para ele, se essas pessoas contribuem para a construção de um país que escolhe ter universidades públicas, ele está contribuindo para que essa universidade possa ter os recursos necessários para existir. “Isso nos exige uma alta responsabilidade, na medida em que gerimos recurso público e exercemos a nossa profissão. Nós precisamos lembrar que não devemos reverência a este ou aquele governo, mas sim ao povo brasileiro, que efetivamente cria as condições para que nós tenhamos uma universidade gratuita”, defendeu.

Além dos 56 formandos e familiares, que puderam participar do evento e manifestar a emoção pelo chat da plataforma, a vice-coordenadora do BICT, Profa. Carolina Del Roveri, a vice-coordenadora da Engenharia de Minas, Profa. Sylma Carvalho Maestrelli e a coordenadora da Engenharia Química, Profa. Jaqueline Costa Martins, também participaram da formatura.

Confira a cerimônia completa no YouTube!

Copy link
Powered by Social Snap