Em jornal da EPTV, docente da UNIFAL-MG explica como reduzir impactos da pandemia em relação à saúde mental de trabalhadores

A pandemia de Covid-19 tem afetado a saúde mental de muitos trabalhadores brasileiros, inclusive daqueles que não estão na linha de frente do combate ao coronavírus. Um reflexo é que a concessão de auxílios doença e a de aposentadorias por invalidez bateu recorde em 2020. Para responder se é possível proteger o psicológico dos trabalhadores, o psiquiatra e professor da Faculdade de Medicina da UNIFAL-MG, Anderson Michel Furtado, participou ao vivo do Bom Dia Cidade de quarta-feira, 10/02.

Segundo o professor Anderson Furtado, apesar de ser uma tarefa difícil, é possível proteger o psicológico dos trabalhadores. O isolamento social, conforme destacou o docente, limitou as atividades externas de lazer dos brasileiros, que faziam o papel de regenerar energias em meio ao estresse do dia a dia. “Mas é possível que a gente comece com novos hábitos, e os novos hábitos podem fazer com que a gente se proteja um pouco do estresse, principalmente do isolamento social e do medo que a pandemia está causando”, salientou. A leitura, para o professor, é um exemplo de novo hábito que regenera a saúde mental.

Confira a participação completa abaixo:

Disponível no link: https://globoplay.globo.com/v/9255752

Colaboração: Túlio Rabelo, estagiário de Comunicação Social da UNIFAL-MG - campus Varginha

Copy link
Powered by Social Snap