Programa de extensão “PaliATIVO”, da UNIFAL-MG, passa a integrar campanha Nursing Now Brasil; iniciativas da campanha visam potencializar atuação de profissionais da Enfermagem 

O Conselho Federal de Enfermagem e o Centro Colaborador da Organização Pan-Americana da Saúde, escritório regional da Organização Mundial da Saúde, certificaram a atuação do programa “PaliATIVO”, da UNIFAL-MG, como integrante da campanha Nursing Now Brasil. Ao seguir as contribuições dos grupos de trabalho certificados, o conjunto de ações da campanha visa promover a troca de conhecimentos entre os participantes, a fim de ampliar o alcance da Enfermagem e a capacitação de profissionais da área.

Cada uma das iniciativas selecionadas em âmbito nacional desenvolve atividades de modo independente. No caso da UNIFAL-MG, o programa PaliATIVO reúne projetos de extensão e eventos que, a partir de março, serão discutidos com os organizadores da campanha. “Este será o legado Nursing Now Brasil: fomentar a convergência de experiências entre os membros, para o fortalecimento da Enfermagem, com as devidas especificidades dos grupos”, explicou a coordenadora do programa e professora da Escola de Enfermagem da UNIFAL-MG, Ana Cláudia Mesquita Garcia.

Fotos: Arquivo pessoal/Profa. Isabelle Cristinne Pinto Costa e Profa. Ana Cláudia Mesquita Garcia

Em conjunto com as professoras Isabelle Cristinne Pinto Costa, Maria Regina Martinez e Andreia Cristina Barbosa Costa, também da Escola de Enfermagem, e com a professora Aline Roberta Danaga, do Instituto de Ciências da Motricidade, a docente Ana Cláudia Mesquita afirmou que o programa selecionado objetiva popularizar a temática dos cuidados paliativos entre a comunidade interna e externa. “Ter o programa reconhecido como uma iniciativa exitosa pela campanha Nursing Now Brasil, portanto, é gratificante pelo fato de termos nosso trabalho em destaque. Aliás, assim como indica a OMS, uma das barreiras para o acesso da população à abordagem de cuidados paliativos é, justamente, a falta de profissionais capacitados”, destacou.

Para ela, apesar da importância desta temática no âmbito da saúde, o tema ainda é pouco explorado ao longo do processo formativo de futuros profissionais. “Há alunos que se formam sem saber o que são os cuidados paliativos, mas, com o aumento das doenças crônicas e do envelhecimento da população, a demanda por profissionais que tenham conhecimento na área será cada vez maior”, explicou a docente.

Fotos: Arquivo pessoal/Profa. Aline Roberta Danaga e Profa. Andreia Cristina Barbosa Costa

Um diferencial para a formação dos discentes da UNIFAL-MG é a oportunidade de contato com o tema dos cuidados paliativos durante a graduação, por meio de atividades de ensino, pesquisa e extensão. Além do programa paliATIVO, segundo a professora Ana Cláudia Mesquita, a Universidade também registra o grupo de pesquisa “Centro Interdisciplinar de Estudos em Cuidados Paliativos” (CIECP), cadastrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq, a Liga Interdisciplinar de Cuidados Paliativos da UNIFAL-MG (LICP) e a disciplina optativa “Introdução aos Cuidados Paliativos e à Tanatologia”, aberta aos alunos dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Farmácia, Odontologia e Nutrição.

“Cabe destacar que, nos dois primeiros calendários do Ensino Remoto Emergencial, a disciplina optativa foi ofertada por duas vezes. Houve uma procura muito grande dos alunos. Foram abertas quase 100 vagas em cada uma das edições, e ainda havia lista de espera”, contou a Profa. Ana Cláudia Mesquita à Dicom. “Por tudo isso, compor o conjunto de iniciativas da campanha Nursing Now Brasil é um ponto positivo, ainda mais pelo fato de todas as atividades que desenvolvemos serem abertas a alunos de todos os cursos da área da saúde da Instituição”, finalizou.

O reconhecimento do programa PaliATIVO ocorreu em fevereiro de 2021, após o convite dos organizadores da campanha, no início do ano de 2019, para a submissão de iniciativas na área de Enfermagem.

A Nursing Now Brasil, cujo centro colaborador para o desenvolvimento da pesquisa em Enfermagem é a Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP (EERP-USP), foi ampliada até maio de 2021.

Conheça o Programa PaliATIVO 

Atualmente, o programa é composto pelos projetos de extensão Death Cafe Alfenas”, coordenado pela professora Ana Cláudia Mesquita Garcia, “paliAB”, coordenado pelas professoras Isabelle Cristinne Pinto Costa e Andreia Cristina Barbosa Costa, “aliviAR”, coordenado pela professora Aline Roberta Danaga, e “Desenvolvimento Humano e Escuta Terapêutica”, coordenado pela professora Maria Regina Martinez.

Em 2020, as atividades foram realizadas de forma remota. “Por exemplo, o projeto de extensão “Paliação para uma Vida + Viva” realizou a produção de um manual de intervenções não farmacológicas para o controle de sintomas físicos“, destacou a professora Ana Cláudia Mesquita.

Outra atividade realizada no ano de 2020 foi a ação “Junto contigo”, componente do projeto de extensão “Desenvolvimento Humano e Escuta Terapêutica”, com a finalidade de promover a interação entre alunos e idosos por meio de aplicativos de mensagem, a fim de a minimizar os impactos negativos do distanciamento social para a população idosa.

Nursing Now Brasil e Perfil dos Gestores em Enfermagem

Foto: Arquivo pessoal/Profa. Maria Regina Martinez

Com o objetivo de analisar a participação dos gestores de Enfermagem nos processos de gestão de pessoas e conhecer o perfil destes profissionais no cenário brasileiro, a pesquisa “Perfil dos Gestores de Enfermagem”, de autoria da egressa Quevellin Alves dos Santos Francisco e da professora Maria Regina Martinez, também foi certificada pela campanha Nursing Now Brasil.

No total, o estudo contou com a participação de 414 enfermeiros gestores, que responderam a um questionário semiestruturado em uma plataforma on-line, divulgado pelo Conselho Federal de Enfermagem. “De acordo com os resultados da pesquisa, que foi minha dissertação de mestrado, houve predominância de participantes do sexo feminino, casadas ou que viviam com companheiro, com idade entre 30 a 39 anos, de raça/cor autodeclarada branca, especialistas, com salário bruto mensal entre R$ 3.000 a R$ 3.999. O público trabalhava entre 31 a 40 horas semanais, liderava até 10 colaboradores da enfermagem e atuava em hospitais públicos ou privados”, contou Quevellin Alves.

Foto: Arquivo pessoal/Quevellin Alves dos Santos Francisco

Segundo ela, o perfil de gestores de Enfermagem não é distinto do perfil de gestores de outros segmentos profissionais. “Isso reforça a necessidade da prática de ações afirmativas nas instituições de saúde, com a busca pela garantia da diversidade em cargos de liderança. Em uma profissão predominantemente feminina, os gestores do sexo masculino ainda são mais bem remunerados, e existe pouca diferença salarial entre o cargo de enfermeiro e de gerente da equipe de enfermagem. Por isso, o reconhecimento é muito significativo, uma vez que objetivos de ações como a Nursing Now visam à valorização do profissional de Enfermagem”, completou.

A integração da pesquisa ao conjunto de iniciativas da campanha ocorreu em dezembro de 2020.

*Milena Favalli Simão é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap