Articulação entre docentes, técnicos e estudantes de oito universidades promove ações para marcar o centenário do Patrono da Educação Brasileira; setembro de 2021, oficialmente, será o “Mês comemorativo do Centenário de Paulo Freire” na UNIFAL-MG

Universidades estão rumo ao Centenário de Paulo Freire! O patrono da Educação brasileira completaria 100 anos em 19/09 deste ano e, como homenagem, um coletivo formado pela UNIFAL-MG, por meio do Grupo de Pesquisa Educateliê, e outras sete universidades, vai organizar uma série de ações e eventos acadêmicos para marcar o centenário do educador. Na UNIFAL-MG, setembro de 2021 foi aprovado pelo Conselho Universitário (Consuni) como o mês do memorial comemorativo do centenário de Paulo Freire.

O vice-coordenador do grupo Educateliê. Marcos Nery, durante a mediação de palestra da segunda série de lives. (Foto: reprodução/Youtube)

A iniciativa concede, simbolicamente, o reconhecimento de dignidade acadêmica à obra e ao legado Paulo Freire para educação brasileira. “Celebrar a obra e o legado de Paulo Freire é também prestar um tributo a todos educadores e educadoras que buscaram, ao longo de nossa história, não somente entender e denunciar os desafios e problemas vivenciados em nosso cotidiano, mas também transformar pela educação essa realidade em busca de uma sociedade democrática que promova justiça e inclusão social”, ressaltou o técnico-administrativo Marcos de Abreu Nery, vice-coordenador do Grupo Educateliê e um dos articuladores da proposta.

De acordo com ele, o pensamento e a obra de Paulo Freire têm sido alvo de um debate com posições antagônicas na atualidade. Conforme explicou Marcos Nery, há uma mitificação das ideias do educador levando à sua demonização como “doutrinador marxista cultural que acabou com a educação brasileira” e à sua santificação como “o profeta libertário e redentor que oferece a solução para todos os problemas da educação em todo o mundo”.

“Para além dessa mitificação, não podemos esquecer: ‘Paulo Freire é o patrono da Educação Brasileira. E existe uma razão dele ser, pois seu pensamento e obra transcenderam o seu tempo e, ainda hoje, nos oferecem elementos fundamentais para entender a relação que a educação estabelece com a atualidade brasileira neste início do século XXI”, destacou o vice-coordenador.

O coletivo traz para as Universidades o debate sobre o papel de Paulo Freire no campo da educação. “Ou seja, entendemos que essa seja a importância da articulação que estamos fazendo. Talvez seja necessário desmistificar quem é Paulo Freire e qual é a importância de sua produção dentro da academia e, particularmente, dentro das universidades”, explicou Marcos Nery. Segundo ele, existe a possibilidade de ampliação das parcerias e institucionalização do coletivo como uma rede de pesquisa sobre educação.

O coletivo “Universidades rumo ao centenário de Paulo Freire” foi criado em 2020 e é formado pela UNIFAL-MG, Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal de Matogrosso (UFMT), Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) e Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Ações do Coletivo Universidades rumo ao centenário de Paulo Freire

A primeira série de eventos promovida pelo Coletivo Universidades rumo ao centenário de Paulo Freire foi organizada no mês de dezembro de 2020 e trouxe a participação da educadora Nita Freire, segunda esposa do educador, do professor Ubiratan D’Ambrosio, docente emérito da Unicamp, e do sociólogo Miguel Arroyo, ex-professor da UFMG. De acordo com as estatísticas de acesso dos canais de transmissão, pessoas de vários países da África, da Europa e da América Latina assistiram aos eventos.

A segunda série de lives, agendada para os dias 26 a 30/04, leva o debate para o âmbito internacional. Com o título “Paulo Freire e sua obra nos anos 1960 e 1970 – perspectivas internacionais” o evento traz os palestrantes Abdejalil Akkari (Universidade de Genebra – Suíça), Ole Skovsmose (Universidade de Aalgorg – Dinamarca/ UNESP – Campus do Rio Claro), Marilyn Frankenstein (Universidade de Massachusetts – EUA) e Ira Shör (Universidade de Nova York – EUA). A transmissão será pelo canal do grupo Educateliê. As informações estão disponíveis na Agenda de Eventos da UNIFAL-MG.

O sociólogo Miguel Arroyo na primeira série de lives. (Foto: reprodução/Youtube)

As duas primeiras séries de lives, como explicou Marcos Nery, são ações preparatórias para os eventos comemorativos preparados para setembro de 2021, entre eles a Semana “Paulo Freire: Pensamento, obra e legado na atualidade”, a ser realizada entre os dias 13 e 17 e o “Lançamento do Memorial do centenário de Paulo Freire”. O memorial contará com materiais textuais e imagens a partir dos originais produzidos por Paulo Freire, relatos de contribuições da obra e do pensamento de Paulo Freire e com acervo de produções acadêmicas desenvolvidas pela perspectiva freiriana.  Alguns depoimentos já estão disponíveis no canal do Youtube da Comunidade Educateliê.

Saiba mais sobre a iniciativa em: Comunidade Educateliê.

Copy link
Powered by Social Snap