Em Nota Oficial, reitores e reitoras das instituições públicas de ensino superior de Minas Gerais conclamam apoio de parlamentares e da sociedade contra os cortes no orçamento das universidades, dos institutos federais e dos centros federais de educação tecnológica do estado

O Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (Foripes) emitiu na segunda-feira, 31/05, uma nota oficial sobre os cortes orçamentários realizados pelo Governo Federal. O documento apresenta o impacto dos cortes e o risco para o funcionamento das instituições mineiras.

De acordo com a nota, as instituições de ensino federais estão sofrendo reduções orçamentárias por 5 anos consecutivos. Em relação a 2020, o corte chega a 29% do orçamento e chega ao valor global de R$ 1 bilhão.  “Caso fosse mantido o orçamento 2021 igual ao de 2020, as universidades federais já enfrentariam graves dificuldades devido às correções necessárias em salários de terceirizados e insumos e o aumento de tarifas públicas de energia e água”, destaca o documento.

Além da redução de orçamento, o Presidente da República vetou R$ 122 milhões dos R$ 141 milhões previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA), dos recursos de capital voltados à conclusão de obras e investimento em aquisição de equipamentos e materiais permanentes. O Foripes ressalta que, além do veto presidencial e cortes, o Governo Federal também bloqueou 13,89% do orçamento das universidades.

“Nesse contexto, ainda que os cortes não sejam iguais, as universidades federais mineiras foram severamente impactadas e, somado às reduções ocorridas nos últimos anos, afeta o funcionamento básico das instituições e impede os investimentos em ciência, justamente no momento em que o país mais precisa de pesquisa e soluções para o enfrentamento de uma grave crise sanitária”, revela o Foripes.

Pela nota oficial, o Foripes conclama o apoio urgente dos parlamentares e da sociedade mineira na defesa da educação superior, técnica e tecnológica, da pesquisa e da extensão, “[…] especialmente no caso das instituições mineiras que foram fortemente afetadas e correm o risco de terem suas atividades reduzidas ou paralisadas”, conclui.

O documento completo pode ser acessado em: Nota Oficial

Sobre o Foripes

O Fórum de Dirigentes de Instituições Públicas de Ensino Superior de Minas Gerais (Foripes) foi criado em 2003 e hoje é composto por dirigentes de 19 instituições. Integram o fórum:  Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet–MG); Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG); Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG); Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IFSudesteMG); Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULDEMINAS); Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM); Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG); Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes); Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG); Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI); Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); Universidade Federal de Lavras (UFLA); Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP); Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ); Universidade Federal de Uberlândia (UFU); Universidade Federal de Viçosa (UFV); Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Além do professor Sandro Amadeu Cerveira, a atual direção é composta pela professora Lavínia Rosa Rodrigues, da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e pelo professor Marcelo Bregagnoli, do Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULDEMINAS).

Copy link
Powered by Social Snap