Visita à usina nuclear de Angra dos Reis marca encerramento do primeiro ano do projeto “Minas for Science”

Para finalizar as atividades desenvolvidas neste ano, o projeto “Minas for Science”, coordenado pela professora do Instituto de Química, Márcia Regina Cordeiro, promoveu uma viagem à Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis, da qual docentes e graduandos da UNIFAL-MG, com professores, pais e alunos das escolas Judith Vianna, Levindo Lambert, Dr. Emílio Silveira, Prof. Viana e Polivalente, puderam participar. Ao longo da visita, que ocorreu no dia 22/11, a turma teve a oportunidade de conhecer as instalações da usina, como o observatório, o simulador da sala de controle e o ambiente de monitoramento ambiental, além de compreender o processo de geração de energia.

A viagem foi pensada após a premiação da Gincana Ambiental, atividade em que os alunos das escolas parceiras apresentaram temas sobre a geração e o reaproveitamento de resíduos. “Acreditamos que a ida a uma usina estivesse alinhada à temática, especialmente sobre o repensar de nossos hábitos de consumo”, explicou a equipe do “Minas for Science”, que considera necessária a discussão sobre energia nuclear. “Qual visão nós temos propagado sobre o assunto? Seria aquela associada a desgraças, ou temos discutido, também, que o Brasil tem uma das maiores reservas de urânio (elemento combustível das usinas), a qual nos coloca em uma posição estratégica no mercado?”, questionou.

Com base nisso, os cerca de 50 participantes da viagem, sob a responsabilidade das professoras  Danielle Ferreira Dias, Maria Vanda Marinho e Márcia Regina Cordeiro (Instituto de Química) e Cátia Regina de Oliveira Quilles Queiroz  (Instituto de Ciências Exatas), foram conferir o assunto de perto, de forma a verificar possibilidades de atuação nessa área tão promissora, mas, ao mesmo tempo, tão cercada de tabus. “Ao chegarmos lá, a minha visão mudou, pois, além de ver que o sistema é bastante seguro, observamos que ele não emite gases do efeito estufa como algumas formas de energia”, contou Alyne Antunes Moraes, discente do curso de Química.

A experiência também foi interessante para os alunos das escolas, os quais puderam conhecer algumas das oportunidades de atuação nas áreas de Ciências Exatas e Biológicas. “O que achei mais interessante foi a explicação sobre o funcionamento das usinas, as razões dos desastres de outras, e gostei principalmente das explicações sobre as tartarugas marinhas”, disse a estudante da Escola Estadual Judith Vianna, Samara Marques Dias. Já para Giovanna Ferreira Cardoso, da Escola Estadual Prof. Viana, o passeio foi maravilhoso: “além da primeira experiência de integração com todo o pessoal (que foi muito divertida), a viagem me trouxe vários conhecimentos.”

Nely de Fátima da Costa, supervisora do Polivalente, destacou a importância do projeto. “Há pessoas que marcam a nossas vidas, e o “Minas for Science” foi assim na vida dos nossos alunos. Os ensinamentos foram muito além dos conteúdos curriculares. É muito gratificante ver o vínculo que se cria”, disse, agradecendo a oportunidade de participar do passeio. Com a viagem, além de conhecer a geração de energia elétrica por diversos meios, os alunos puderam se ver, futuramente, nas usinas. Alguns deles, inclusive, já voltaram escolhendo o curso que querem seguir para um dia estar lá.

Sobre o projeto

O projeto “Minas For Science”, vinculado à UNIFAL-MG, foi criado para promover a inserção de meninas e mulheres nas áreas de Ciências Exatas, Engenharias e Matemática. A ação envolve alunos de iniciação científica, iniciação científica júnior e professores da educação básica da rede pública do município, sendo que, neste primeiro ano, as escolas envolvidas foram: Judith Vianna, Levindo Lambert, Dr. Emílio Silveira, Prof. Viana e Polivalente.

Além do incentivo, o projeto assume um diferencial: a utilização de mostras científicas temáticas para discussão de problemas sociais, econômicos e ambientais, interpretados à luz dos conteúdos escolares. Os envolvidos no projeto acreditam que o ensino de conteúdos escolares deve atender ao objetivo de formar cidadãos capazes de interagir com o espaço onde se inserem, modificando-o positivamente.

Fotos: arquivo pessoal do projeto “Minas for Science”

*Milena Favalli Simão é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap