Saúde: saiba como se prevenir em tempos de Covid-19

Confira o InformaFAMED, informativo da Faculdade de Medicina a respeito da situação de emergência provocada pelo coronavírus:

Prof. Luís Fernando Lopes de Oliveira
(médico cardiologia)


“Você que tem doença do coração, doenças pulmonares, pressão alta, diabetes,
fique em casa.
Evite ir no supermercado, evite ir em farmácia,
evite ir em unidades de saúde e encontrar uma infecção,
que eventualmente, você poderia evitar de pegar.”

Prof. Rubens Bittencourt
(médico da saúde da família e comunidade)


“Medidas simples que a gente deve adotar aqui no Brasil: não sair de casa,
somente em hipóteses realmente necessárias e quando sair fazer a higienização das mãos,
usar água e sabão, usar o álcool gel e, quando voltar ao seu lar,
fazer todas essas medidas preventivas.”

Prof. Cristiano Martins Trindade
(médico especialista em clínica médica)


“Quando devemos procurar o atendimento nos postos de saúde e hospitais?
Se está com sintomas leves, como coriza e febre baixa,
procure ficar em casa e evitar o uso de anti-inflamatórios.
Procure o pronto atendimento apenas se
apresentar febre alta e persistente,
dificuldade respiratória ou falta de ar.”

Prof. Eli Ávila Souza Júnior
(médico especialista em Ortopedia e professor de Medicina de Família e Comunidade)


“Uma das causas mais comuns de internação de crianças, jovens e adultos, são as lesões causadas por fatores externos, como acidentes automobilísticos. Se o sistema de saúde estiver sucateado devido aos portadores de coronavírus, não haverá espaço para essa população mais jovem que sofrer por causas externas que vão continuar acontecendo durante a pandemia.”

Profa. Gabriela Itagiba Aguiar Vieira
(médica especialista em Medicina de Família e Comunidade)


“O álcool gel é recomendado como antisséptico pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da Saúde. Ele ajuda na prevenção e contágio do coronavírus. Algumas receitas estão circulando na internet recomendando a produção de álcool em gel com álcool líquido concentrado, mas o álcool em altas concentrações aumenta muito o risco de acidentes, incêndios e queimaduras.”

Prof. Gil Horta Passos
(médico especialista em Ginecologia e Obstetrícia)

 
“As gestantes não são, necessariamente, integrantes do grupo de risco. Outra dúvida frequente é quanto a amamentação, que não está contraindicada, uma vez que as últimas pesquisas mostraram ausência de vírus no leite materno e no líquido amniótico de gestantes.”

Esses e outros vídeos do InformaFAMED estão disponíveis neste link, não deixe de acompanhar as postagens!

 

Você sabe como realizar o isolamento domiciliar?

Como passar pelo isolamento social com equilíbrio e saúde mental?

Confira o vídeo da psicóloga do campus Varginha, Cristiane Belo de Araújo, sobre este período de quarentena:

 

Saúde Mental

O momento é de incertezas, de inseguranças, mas também de muita reflexão, de autoconhecimento e de fortalecimento da empatia e do amor próprio.

Confira algumas dicas da equipe de psicólogas e pedagogas do Departamento de Apoio e Acompanhamento da PRACE

Você não está sozinho. Em um momento como esse, em que o isolamento é indicado para a grande maioria das pessoas, é comum que a gente se sinta só. Então, é importante lembrar: estamos todos juntos nesse momento. Com a participação de todos, vamos conseguir passar por essa situação.

Não deixe de falar com amigos e familiares. Vivemos em uma época privilegiada, mesmo em tempos de isolamento, podemos interagir com outras pessoas por meio das plataformas digitais. As redes sociais e os aplicativos de troca de mensagem e vídeo conferência são grandes aliados. Aproveite para conversar com parentes e amigos com os quais você não tinha tempo para falar antes.

Cuidado com as informações falsas e em excesso. Se apegue a fontes seguras de informação. O site do Ministério da Saúde é um espaço em que você pode encontrar notícias oficiais e se informar com maior segurança. Não precisa ficar conectado o tempo inteiro com as notícias, isso aumenta a ansiedade. Evite o bombardeio de informações. Da mesma forma que é importante estarmos bem informados, é importante filtrar a qualidade da informação que estamos adquirindo.

Cuidado com seus pensamentos. O que você está falando pra você? No momento de crise, a maioria das pessoas tem pensamentos que são catastróficos.

Cuide de suas emoções. É importante a gente pensar não só no que a gente está sentindo, na ansiedade e na angústia, mas também no que está acontecendo no nosso corpo. É preciso fazer um esforço para acalmar nossas emoções.

Não fomente o medo e o pânico nas crianças. Proteja suas crianças, sem fomentar nelas o medo e o pânico. Encontre formas positivas de falar sobre o vírus e dê a elas canais para expressarem suas fantasias, medos e preocupações sobre o tema.

Cuide-se. Busque se alimentar de forma saudável, praticar exercícios (dentro de casa), e caso você faça algum tratamento de saúde, não interrompa seu tratamento. Aproveite para meditar, cuidar da mente, relaxar, cuidar do corpo. Fortalecer-se.

E lembrem-se, em algum momento toda essa situação será amenizada, e ficaremos todos bem, principalmente se evitarmos situações que sejam propensas à disseminação do vírus COVID-19. Então, vamos buscar ficar mais reclusos em nossos lares.

É possível viver bem em tempos de afastamento social

Por mais que o afastamento social possa nos assustar e trazer inquietações, este momento também pode ser aproveitado de muitas maneiras saudáveis!

Já pensou que esta pode ser uma oportunidade de fazermos muitas coisas que gostamos, mas para as quais nem sempre temos tempo? Dance, ouça música, cozinhe com a sua família.

Este é um bom momento para você pensar em seus objetivos de vida. Carreira, família, amigos, relacionamentos amorosos, projetos e sonhos.

Você também pode aproveitar para se afastar um pouco da tecnologia. Conhecer melhor o colega da república, organizar o guarda-roupa, ler um livro, desenhar, jogar xadrez, pintar.

Lembre-se de que você não está sozinho e de que vamos passar por isso juntos. Seja empático, solidário: cuidar de você é também um ato de amor ao outro.

Dez dicas para o período sem aulas presenciais

1- Esse é um momento de cuidado: conosco, com os(as) que amamos, e com todos(as) que compartilham esse mundo com a gente.
2- Tenha uma rotina. Elabore desde o início um cronograma, para que você tenha um horário para as atividades acadêmicas.
3- Tenha um horário para ler as notícias sobre a pandemia. Mantenha-se informado, mas evite a ansiedade gerada pelo medo.
4- Aproveite para ler aquele livro que você queria e nunca dava tempo.
5- Coloque suas série em dia, mas controle o tempo diário que gasta assistindo.
6- Tenha tempo de qualidade com os que moram com você. Tire os jogos de tabuleiro do armário.
7- Converse com quem está com você e com amigos(as).
8- Aproveite para ligar para aqueles(as) com quem você não fala há muito tempo.
9- Selecione e prepare receitas simples e gostosas.
10- Ouça podcasts de temas que te interessam.

Links Úteis:

https://noticias.ufsc.br/2020/03/pesquisadora-da-ufsc-da-dicas-de-como-enfrentar-a-quarentena-de-forma-saudavel/

https://www.theguardian.com/world/2020/mar/13/the-family-lockdown-guide-how-to-emotionally-prepare-for-coronavirus-quarantine?CMP=Share_iOSApp_Other

https://news.un.org/pt/story/2020/03/1707792

 Saúde Nutricional

Em tempos de pandemia, nossa alimentação é fator primordial e que merece nossa atenção, tanto em relação aos fatores nutricionais quanto às condições de higiene e segurança da mesma para consumo.

Acesse dicas de Nutrição da equipe nutricional da Prace

É necessário destacar que não existe nenhum alimento milagroso que, se consumido neste momento, irá nos proteger do contágio com o vírus. Entretanto, podemos melhorar nosso sistema imunológico com uma alimentação equilibrada. Se até hoje sua alimentação não era uma preocupação pra você, sinto informar que você não verá os resultados na sua saúde do dia para a noite, mas nunca é tarde para começar.

Que tal focarmos em 10 passos muito importantes para isto?

Passo 1. Aumente a ingestão de verduras e legumes, preferencialmente, crus: ao se servir para o almoço e o jantar, o ideal é que metade do seu prato seja ocupado por esses alimentos e com, no mínimo, três cores diferentes. Vamos a alguns exemplos: alface, tomate e cambotiá; rúcula, cenoura, beterraba; e por aí vai. Esses alimentos fornecerão fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos; quanto mais colorido, mais nutrientes.
Passo 2. Aumente também a ingestão de frutas, mas não concentre sem consumo em apenas um horário do dia; tente comer três tipos diferentes, sendo o ideal consumir um tipo em cada horário. Você pode comer uma fruta junto com o café da manhã, uma de sobremesa do almoço e outra do jantar; ou pode incluí-las também nos intervalos entre as refeições. Fazendo assim, você terá aporte de vitaminas, fibras, minerais e fitoquímicos ao longo do dia.
Passo 3. Agora é uma boa oportunidade para priorizar as frutas ricas em vitamina C, como laranja, limão, acerola, goiaba, açaí (sem xarope de guaraná), kiwi; as frutas vermelhas e roxas também são importantíssimas. Coma preferencialmente com a casca e, caso substitua por sucos, eles devem ser integrais e sem adoçar.
Passo 4. Cuide do seu intestino! Além dos alimentos acima, não esqueça de beber bastante água e consumir outras fibras como aveia e sementes. O ideal é que seu intestino funcione diariamente e sem dificuldade para evacuar.
Passo 5. Coma comida de verdade! Esqueça os industrializados, cheios de produtos químicos, aditivos, corantes, conservantes… Ao olhar o rótulo dos alimentos prefira os que têm lista de ingredientes pequena e com nomes que você saiba identificar o que é.
Passo 6. Não se esqueça de comer sua castanha do Pará diariamente. Ela é rica em selênio e ajuda fortalecer nosso sistema imunológico. Mas atenção, o excesso de selênio pode trazer complicações para seu organismo, então coma 1 ou 2 por dia somente. Maiores quantidades devem ser avaliadas individualmente por um nutricionista da sua confiança.
Passo 7. Alimentos fonte de zinco também são importantes para a imunidade, como semente de abóbora, grão de bico, feijões, cacau, castanhas, amêndoas, nozes, amendoim e carnes em geral.
Passo 8. Reduza a ingestão de açúcares, doces e alimentos adoçados, pois eles são altamente inflamatórios, deprimindo nosso sistema de defesa e nosso sistema nervoso, aumentando também sintomas de ansiedade e depressão.
Passo 9. Durma bem, ter um sono reparador e regenerador é extremamente importante para manter a imunidade e a saúde em geral em dia, pois durante o sono nosso corpo continua trabalhando em nosso favor e algumas funções só se desenvolvem adequadamente quando estamos dormindo.
Passo 10. Não se esqueça do sol e das fontes de vitamina D. A vitamina D é uma das vitaminas mais importantes para nossa saúde e estudos recentes mostraram a importância dos bons níveis de vitamina D na recuperação da infecção viral. Entre os alimentos fontes destacamos gema de ovo, fígado, leite e derivados, pescados (salmão, atum, sardinha), cogumelos. Entretanto, para conversão da vitamina na sua forma ativa, precisamos tomar sol, se possível, diariamente por 15 minutos, sem protetor solar e com o mínimo de roupas possível. E sol é o que não nos falta neste momento. Este é um ótimo momento para associar uma atividade física (média e baixa intensidade) e atividades de relaxamento, outros dois fatores de extrema importância para melhorar nossa imunidade.
Se vamos evitar industrializados, são poderia deixar de falar sobre algumas dicas práticas e importantes para quando você precisar ir às compras, já que alimentos de verdade têm menor durabilidade e muitos deles não dá pra fazer uma compra mensal, não é mesmo? Então, vamos lá!
1. Tire um tempo para planejar suas refeições, de maneira que você saia de casa, no máximo, uma vez por semana para fazer suas compras. Desta forma, você consegue fazer uma lista do que é necessário comprar, não se esquece de nada e consegue ser mais rápido na hora da compra, ficando menos tempo fora de casa. Procure também fazer suas compras em horários mais alternativos e de menor movimento.
2. Durante as compras, quando você tocará em carrinhos e cestinhas que todo mundo coloca a mão, além de tocar em dinheiro ou cartão, seja ainda mais vigilante para não tocar em você antes de higienizar adequadamente as mãos (não toque no cabelo, não coce o nariz ou o ouvido).
3. Ao chegar em casa, deixe seus calçados do lado de fora, pra higienizar depois.
4. Rapidamente retire os alimentos das sacolinhas e jogue-as no lixo externo.
5. Antes de colocar os produtos nos armários ou geladeira, lave as embalagens com água e sabão e borrife álcool 70% ou solução clorada (faça a diluição conforme as instruções do rótulo).
6. Retire as frutas, verduras e legumes das embalagens e higienize-as antes de guardar na geladeira. Organize em potes ou sacos próprios para refrigeração.
7. Antes de consumir frutas, verduras e legumes crus, lave individualmente em água corrente, deixe de molho por 15 minutos em solução de hipoclorito de sódio a 1% (água sanitária com apenas hipoclorito e água como ingredientes). Geralmente a diluição é de uma colher de sopa de hipoclorito para cada litro de água, mas confira na embalagem que você estiver utilizando. Vinagre não resolve! Logo após este tempo, lave tudo novamente em água corrente antes de consumir.
8. Não se esqueça de higienizar as superfícies que você colocar as sacolas que vieram das compras; pode fazer isso com álcool 70% ou solução de hipoclorito de sódio.
9. Tome um belo banho sempre que voltar para casa, lave também os cabelos e coloque a roupa que estava usando no tanque para lavar, mesmo que esteja aparentemente limpa.
10. Não se esqueça de higienizar as chaves e maçanetas que você tocou com a mão suja, inclusive de carros, motos e bicicletas!

Faça sua parte, cuide-se! Isso tudo logo vai passar!

 

Copy link
Powered by Social Snap