Foripes lança Manifesto em defesa da Fapemig; documento destaca a importância de uma pesquisadora ou pesquisador na presidência da fundação

O Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais – Foripes lançou, nesta terça-feira (5), um Manifesto de apoio à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Fapemig, enquanto agência promotora da ciência, tecnologia e inovação em nosso Estado. O documento foi assinado por dirigentes de 19 instituições do estado de Minas Gerais.

O “Manifesto pela Fapemig” ressalta a necessidade de fortalecimento da entidade para “construção de soluções” no atual momento de pandemia de Covid-19 causada pelo novo coronavírus. “Como demonstra a história de outros países, o enfrentamento das dificuldades econômicas não se faz sem investimentos consistentes e o respeito às instituições cientificas. Sem agências capazes de induzir pesquisa autônoma e de qualidade, os estados perdem um dos vetores primordiais para as soluções tecnológicas e de inovação, capazes de revigorar e impulsionar suas economias”, destaca o documento.

O professor Sandro Amadeu Cerveira, reitor da UNIFAL-MG, é o segundo vice-presidente do FORIPES e signatário do “Manifesto pela FAPEMIG”

O professor Sandro Amadeu Cerveira, reitor da UNIFAL-MG e um dos signatários do Manifesto, destaca a importância da manifestação do Foripes, principalmente, no atual contexto de pandemia. “No momento em que o Brasil enfrenta, talvez, o maior desafio do século 21, é necessário que as instituições promotoras da ciência, da tecnologia e da inovação estejam fortalecidas e que seus gestores sejam profissionais com capacidade técnica, reconhecimento acadêmico e, obviamente, capacidade de gestão. Por isso é fundamental que o governo do estado de Minas Gerais escute as instituições de ensino e pesquisa do estado, em especial as Universidades e Institutos Federais, no momento de definir o próximo gestor ou gestora que estará à frente desta importante agência de pesquisa e fomento”, completa.

O apontamento do reitor da UNIFAL-MG está relacionado com a vaga na presidência da Fapemig, após a nomeação de Evaldo Ferreira Vilela, presidente do órgão desde 2015, para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). De acordo com a Lei 11.552/94, a designação do presidente do órgão cabe ao governador de Minas Gerais entre os nomes indicados em lista tríplice elaborada pelo Conselho Curador do órgão.

No Manifesto, os dirigentes das instituições de ensino superior mineiras ressaltam que as autoridades devem ter a “sensibilidade” para que nova presidência da Fapemig esteja a cargo de pesquisador ou pesquisadora com atuação destacada em instituições de ensino superior ou institutos de pesquisa. Destacam também a necessidade do indicado ou indicada possuir reconhecida experiência na gestão científica, na produção intelectual qualificada e nos campos do ensino, da pesquisa, da extensão e da inovação.

Valder Steffen Jr., presidente do FORIPES, comentou o manifesto. (Imagem: Foca Lisboa/UFMG)

O atual presidente do Foripes, Prof. Valder Steffen Júnior, reitor da Universidade Federal de Uberlândia – UFU,  comentou o manifesto. Segundo ele, a manifestação  aponta dois aspectos principais: o primeiro aborda a importância da agência de amparo a pesquisa para o desenvolvimento de Minas Gerais; e, o segundo, está relacionado ao perfil esperado da presidência da Fapemig, ressaltando que o cargo deve ser ocupado por quem tem atuação destacada em instituições de ensino superior ou institutos de pesquisa, além de possuir uma produção intelectual compatível. Esse requisito do dirigente máximo da fundação, para Valder Steffen, é uma forma de exercer liderança junto à comunidade científica e ter interlocução com outras agências de fomento no país e no exterior. “O que se deseja é que o governo do Estado de Minas Gerais e os Parlamentares Mineiros tenham a necessária sensibilidade e acatem os dois pontos acima em suas decisões relativas à Fapemig”, explica.

O reitor da UFU  lembrou também que, considerando o número de Universidades e Institutos Federais, o estado Minas Gerais é o maior beneficiado pelo Governo Federal nesse segmento. Dessa forma, o fortalecimento da Fapemig se configura também como uma contrapartida do Estado para educação.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Fapemig, de acordo com sua missão institucional, busca “induzir e fomentar a pesquisa e a inovação científica e tecnológica para o desenvolvimento do Estado de Minas Gerais”. A atuação do órgão é orientada por valores como compromisso, autonomia, universalidade, excelência e ética. Como explicitado em seu site, compete à Fapemig “apoiar projetos de natureza científica, tecnológica e de inovação, de instituições ou de pesquisadores individuais, que sejam considerados relevantes para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social do Estado”.

Confira o Manifesto completo abaixo:

Manifesto pela Fapemig

Copy link
Powered by Social Snap