Ações da UNIFAL-MG e impactos da pandemia no orçamento, pessoal e rotina acadêmica são temas discutidos em audiência pública

Nesta terça-feira (16/06), o evento “Universidade em Tempos de Pandemia” teve continuidade, via webconferência e transmitido ao vivo pelo canal oficial da UNIFAL-MG no YouTube, com a segunda audiência pública, que abordou os temas: gestão de pessoas, administração e finanças, planejamento institucional e assistência estudantil.

Com a mediação do reitor, Prof. Sandro Amadeu Cerveira, e do diretor de Comunicação Social, Ivanei Salgado, a audiência contou com a participação do pró-reitor de Administração e Finanças, Prof. Mayk Vieira Coelho, do pró-reitor de Planejamento, Orçamento e Desenvolvimento Institucional, Lucas Cezar Mendonça, do pró-reitor de Assuntos Comunitários e Estudantis, Prof. Wellington Ferreira Lima e da pró-reitora de Gestão de Pessoas, Juliana Guedes Martins.

Em sua apresentação, o reitor lembrou ao público de que jamais foi vivenciada uma pandemia nas proporções atuais: “estamos passando por uma das piores crises sanitárias de todos os tempos e a nossa Universidade está trabalhando para que estudantes, servidores e toda comunidade saiam fortalecidos dessa experiência”.

O Prof. Mayk falou um pouco sobre ações da Proaf desde o início da pandemia, como a compra de papel toalha, álcool em gel e sabonete líquido, itens que haviam sido cortados desde o contingenciamento orçamentário em 2019. “Desde março estamos trabalhando para adquirir esses itens, que ainda estão chegando, para abastecer todos os campi e atender nosso público em locais como bibliotecas, clínicas e DRGCA”, disse. O pró-reitor informou ainda que o material para que os servidores voltem ao trabalho presencial também já está sendo adquirido, como divisórias de acrílico e máscaras de tecido, itens obrigatórios para circulação nas cidades e nos campi da UNIFAL-MG.

Na sequência, o pró-reitor da Proplan resumiu como é feito o orçamento da Universidade e explicou que a equipe está analisando o impacto orçamentário para os anos de 2020 e 2021, bem como replanejando os gastos desse ano para atender a demanda emergencial. “A UNIFAL-MG foi contemplada com recursos da Medida Provisória n°942 de 02 de abril para aquisição de itens para enfrentamento da pandemia. Nossa equipe teve 24h para elaborar um plano de trabalho e a partir dele conseguimos recursos financeiros para aquisição de materiais, EPIs e 600 testes rápidos”, afirmou Lucas.

No momento, segundo o pró-reitor, estão sendo construídos alguns cenários, procurando manter tudo o que é possível, como terceirizados, bolsas e estagiários. Com a economia em algumas áreas – diárias, transporte, energia e água -, e o redirecionamento de recursos para reformas, manutenções e revitalização dos campi, Lucas, acredita que os servidores e estudantes encontrarão algumas mudanças quando retornarem às atividades presenciais, como a instalação do sistema de proteção e combate a incêndio e finalização de algumas obras.

Em relação ao Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que reúne os objetivos, as metas e os resultados esperados da Instituição para o período de 2021 a 2025, o pró-reitor informou que a proposta de elaboração do PDI foi dividida em duas etapas: uma etapa de retrospectiva do PDI vigente (2016-2020) e uma segunda etapa para a construção do novo PDI, que inclui levantamento de dados, grupos de trabalhos, audiência e consulta pública, e debate e deliberação pelo Conselho Universitário.

Já o Prof. Wellington aproveitou a oportunidade para apresentar o perfil do estudante da UNIFAL-MG e as principais ações da Prace, que mesmo durante a pandemia, continua atendendo os discentes por meio do programa de Assistência Prioritária. O programa que já tinha os auxílios alimentação, permanência, instrumental, diárias para atividades pedagógicas e empréstimo de notebooks, agora incluiu o auxílio internet para alunos vulneráveis contratarem o serviço durante o período de aulas remotas. As atividades de apoio e acompanhamento, prestado pelas pedagogas e psicólogas, também está ativo de forma on-line, conforme a imagem a seguir:

(Crédito da imagem: reprodução apresentação da Prace)

Em seguida, a Profa. Juliana, comentou as restrições orçamentárias e o impacto na área de gestão de pessoas. “Desde 2016, 2017, temos sofrido impactos com a extinção de cargos e reposição de pessoal. Todas as universidades já estão com vedação de gastos com os servidores”, contou, destacando os pontos principais da Instrução Normativa n° 28 de 25 de março de 2020. Tal IN veda os auxílios transporte, adicional noturno e ocupacional, bem como a alteração de férias, dentre outras vantagens, aos servidores e empregados públicos que executam suas atividades remotamente ou que estejam afastados de suas funções presenciais.

Outro ponto abordado pela pró-reitora foi a volta das atividades administrativas presenciais após o período de distanciamento social. “A Progepe está analisando como será o regime de escalonamento. As unidades já podem pensar de que forma organizar os servidores, pois o trabalho remoto é uma realidade e por mais que existam condições para o trabalho presencial, ainda assim teremos um regime de escala”, finalizou.

Como no primeiro dia, o público participou ativamente por meio do envio de sugestões e dúvidas pelo chat da transmissão ao vivo. Nesta quarta-feira (17/06), o encerramento acontece às 9h, com o relato síntese das ações da Universidade pelo reitor e o painel “Ações das Unidades Acadêmicas da UNIFAL-MG”, que integra a programação do 1º Congresso da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), cujo tema é “Realidade e Futuro da Universidade Federal”.

Assista a audiência de 16/06 na íntegra:

Copy link
Powered by Social Snap