De concessão de auxílios para inclusão digital a promoção de rodas de conversa sobre saúde mental, ações de Assistência Estudantil garantem apoio à comunidade universitária da UNIFAL-MG em 2020; confira matéria especial sobre Relato Integrado

Quando decretada a pandemia de Covid-19, novas dinâmicas se impuseram na realidade acadêmica, tendo em vista a necessidade emergente de adaptação das atividades presenciais para o modelo remoto, sobre o qual se falou no último ano. No entanto, o que também vigorou nesse período foi um cenário em que a assistência aos universitários se fez mais do que necessária, a fim de garantir desde inclusão digital até práticas de promoção de saúde mental e física. Para acompanhar a comunidade, a Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (Prace/UNIFAL-MG) avançou com as ações de Assistência Estudantil, tema da quarta reportagem da série sobre o Relato Integrado 2020, com o objetivo de contribuir para a democratização do ensino e permanência dos estudantes na Universidade.

Ações de Assistência Prioritária

De acordo com o Prof. Wellington Lima, o orçamento planejado para as despesas do RU foi realocado para a implantação dos auxílios para a inclusão digital e para o aumento do número de universitários contemplados pelo auxílio permanência
(Foto: Arquivo Pessoal/Wellington Ferreira Lima)

Em 2020, o grande diferencial foi a oferta de auxílios para o desenvolvimento das atividades a distância, como a possibilidade de aquisição de notebooks pelos universitários para o acompanhamento das aulas síncronas e assíncronas. “Esses auxílios foram aprovados pelo Colegiado de Assuntos Estudantis como parte do plano de implantação do Ensino Remoto Emergencial, após profissionais da Prace e da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) efetuarem uma pesquisa para estimar o grau de exclusão digital do público. Para tanto, realocaram-se recursos antes destinados ao pagamento do Restaurante Universitário (RU). Em seguida, a SESU propôs a implantação do projeto ‘Alunos Conectados’, que passou a distribuir SIMCards a partir de outubro”, explicou o pró-reitor da Prace, Prof. Wellington Ferreira Lima, do Instituto de Ciências Humanas e Letras da UNIFAL-MG.

No total, 383 estudantes foram beneficiados com o auxílio para contratação de pacote de dados, ao passo que 488 receberam auxílio para aquisição de equipamentos. Entre eles, está Danilo Moraes Nascimento, discente do último período do curso de Economia da UNIFAL-MG, o qual pôde, graças à bolsa recebida para aquisição de notebook, realizar as atividades acadêmicas com mais estabilidade, bem como melhorar a participação no estágio com o uso dos programas necessários (Excel e Python). “Sem esse auxílio, muito provavelmente eu não conseguiria me efetivar como aluno durante a pandemia. Depois da aquisição, realizei atividades com fluidez, o que melhorou meu condicionamento e processo de aprendizagem”, relatou o universitário.

Danilo Moraes Nascimento, discente do curso de Economia com ênfase em Controladoria, foi um dos contemplados pela Prace com bolsa para aquisição de notebook. (Foto: Arquivo Pessoal/ Danilo Moraes Nascimento)

Na vivência do discente, o equipamento foi importante para realizar o projeto de pesquisa de processo seletivo para mestrado e para finalizar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). “Antes disso, muitas vezes, o meu antigo computador desligava sozinho no meio das aulas, travava durante as atividades e precisava de manutenção corriqueiramente. Isso impedia um uso adequado durante as aulas remotas. Com o notebook, pude realizar virtualmente cursos extracurriculares e melhorar a qualidade dos meus estudos. De fato, o auxílio abriu muitas portas na minha jornada e no meu rendimento acadêmico”, completou. Além disso, devido ao isolamento social, o universitário Danilo Moraes relatou poder se comunicar com mais frequência, por meio de chamada de vídeos, com os familiares.

Outras bolsas de Assistência Prioritária ofertadas pela UNIFAL-MG foram do Auxílio Alimentação, com 1465 alunos contemplados; Permanência, com 984 alunos; Creche, com 25 alunos; Instrumental, com 21 alunos; e Atividade de Campo, com 13 alunos. A Universidade também passou a disponibilizar chamadas para empréstimo de notebook a discentes matriculados nas disciplinas de Ensino Remoto Emergencial não contemplados com o auxílio pedagógico de inclusão digital.

Quanto aos restaurantes universitários, houve mudanças nos campi devido à redução das atividades presenciais. “Os antigos usuários dos restaurantes de Poços de Caldas e Varginha têm recebido auxílios em pecúnia, proporcionalmente ao seu histórico de consumo. Já o restaurante da Sede mudou o sistema de serviço para entrega de quentinhas, para reduzir a chance de contágio”, destacou o pró-reitor Wellington Lima.

Diálogos, afetos e autocuidado: as ações de apoio e acompanhamento

Ao se considerar mudanças impostas pelo período pandêmico, como o uso intensivo de ferramentas digitais para comunicação, o distanciamento social e o retorno de discentes à cidade de origem, vale lembrar que as incertezas de um momento atípico mobilizaram as rotinas da Universidade – e dos universitários. Como forma de contribuir para a melhoria das condições relacionais presentes no meio acadêmico, o Departamento de Apoio e Acompanhamento (DAA/Prace) continuou a promover espaços de discussão de estratégias para o autocuidado em saúde mental, bem como encontros individuais em prol do desenvolvimento e do bem-estar dos graduandos. Ao longo do ano, de acordo com o Relato Integrado, 253 discentes foram contemplados por acompanhamento psicológico ou pedagógico e 535 foram contemplados por atividades coletivas (rodas de conversa e oficinas pedagógicas).

Para a psicóloga Cristiane de Araújo, os atendimentos individualizados e coletivos virtuais, assim como as oficinas e demais estratégias de educação em saúde, tornaram-se essenciais como mecanismos que possibilitaram, em alguma medida, a promoção do bem-estar. (Foto: Arquivo Pessoal/Cristiane Belo de Araújo)

“Mesmo com todas as adversidades associadas à pandemia, o DAA desenvolveu uma agenda virtual valendo-se do uso de tecnologias como o Google Meet ou Skype. No primeiro semestre, implantou-se o processo de análise comparativa, permitindo avaliar/acompanhar os indicadores de sintomas dos estudantes, com vistas à redução de sintomas e ao restabelecimento da saúde mental e psicológica”, contou a psicóloga Cristiane Belo de Araújo, da Prace. Em relatório divulgado em 2020, inclusive, a equipe do DAA revelou que, entre os estudantes que tiveram seus mapeamentos individuais realizados, 70% indicaram redução de sintomas como os que apontam risco à vida ou acarretam prejuízo às funções cognitivas em dimensões significativas.

Para além das atividades individuais e coletivas, a psicóloga Cristiane de Araújo reforçou as colaborações entre departamentos da Pró-Reitoria, a exemplo da articulação com o sistema Busca Ativa, e outras iniciativas como os grupos Conexões, AdaptAÇÕES, LeveMENTE, Conversações, Bem Viver, Projeto de Vida, Prosa em Roda, oficinas pedagógicas, Bate-Papo com o Progrida, Inspire-se e Maratona Vida Leve. “As atividades tiveram um papel importante como espaço de acolhimento de ingressantes, assim como no suporte ao processo de adaptação dos discentes diante das novas demandas pedagógicas e emocionais geradas pela pandemia. São espaços de escuta que visam ao processo de ressignificação dos elementos e dos temas trazidos pela comunidade acadêmica, de partilha de experiências, de identificações subjetivas e de elaboração de afetos”, completou.

Para Aline Yugawa, discente do curso de Medicina, contar com o apoio pedagógico e psicológico durante a graduação é de suma importância, pois reduz a ansiedade e promove o autoconhecimento (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Yugawa)

Quem reforça essa importância é a universitária Aline Yugawa, discente do 3° período do curso de Medicina. Ela participa das ações de acompanhamento pedagógico desde o mês de dezembro de 2020. “Para mim, a busca por apoio tanto pedagógico quanto psicológico ao longo da graduação é extremamente enriquecedora, pois, além de ajudar com a organização e a redução da ansiedade natural de um curso superior, nos ensina o autoconhecimento”, comentou.

Dos encontros, além de aprender a lidar com a ansiedade e com a adaptação a novas formas de estudar, a graduanda Aline Yugawa pôde descobrir como se desenvolver melhor no modelo de ensino remoto. “Uma das minhas maiores queixas era a minha dificuldade em conseguir participar ativamente, como ligar a câmera, falar em público, mesmo que virtualmente. Após poucas sessões, já me sentia mais confortável em participar das aulas, e hoje eu me encontro em diversos projetos que antes não participaria sem o auxílio e aprendizado obtido por meio do apoio pedagógico”, finalizou a universitária.

A solicitação de Apoio Psicológico e Pedagógico pelos discentes continua ocorrendo por meio do preenchimento do Formulário do respectivo Apoio disponível na página da Prace. Clique aqui para saber mais

Em 2020, no âmbito das ações de Assistência Estudantil, a UNIFAL-MG também realizou o 1° Ciclo Inter Campi de Debates em Promoção de Saúde Mental e Educação, evento de caráter interdisciplinar que contou com a participação de profissionais renomados tanto da Universidade quanto de outras instituições. Em agosto de 2021, acontecerá o 2° Ciclo de Debates em Promoção de Saúde Mental e Educação, com uma programação diversificada composta por mesas-redondas, palestras e oficinas.

Para este ano, a equipe do DAA considera crucial a manutenção, em fluxo contínuo, dos Grupos de Acolhimento Coletivo, de maneira integrada às demais ações propostas. As oficinas pedagógicas também estão entre as ações que continuam sendo ofertadas periodicamente. Entre os novos projetos estabelecidos em 2021, em ação parceira com o Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Acadêmico (Progrida), estão os episódios do podcast “De Bem com o Corpo”, desenvolvidos pela psicóloga Cristiane Belo de Araújo e pela nutricionista Fernanda Laurides Ribeiro de Oliveira Lomeu, da Prace.

Promoção e prevenção de saúde da comunidade universitária 

“Distanciamo-nos muito em 2020, mas nunca estivemos trabalhando tão juntos, com a oportunidade de conhecer mais de perto os trabalhos realizados em todos os campi. Passamos a compartilhar mais as experiências e dúvidas”, destacou a Profa. Paula Souza sobre a pandemia (Foto: Arquivo Pessoal/Paula da Costa Souza)

No âmbito das ações de prevenção e promoção de saúde, a UNIFAL-MG, por meio do Departamento de Promoção e Prevenção (DPP/Prace), articulou atividades de terapia integrativa, atendimento fisioterápico a distância – conforme Resolução do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional sobre teleconsulta, teleconsultoria e telemonitoramento -, e produção de conteúdo sobre alimentação saudável e bem-estar físico e mental. Com apoio dos demais departamentos, o DPP deu continuidade ao Progrida, que necessitou de reavaliação para funcionar na modalidade remota, conforme destacou a professora Paula da Costa Souza, do Instituto de Ciências Humanas e Letras da Universidade. “Por meio Progrida, foram desenvolvidas diversas ações em todos os eixos contemplados pela a proposta, a saber: Pedagógico, Cultura, Esporte e Lazer, Saúde Mental e Promoção de Saúde”, ressaltou a assessora especial para assuntos estudantis.

As interações do programa “UNIFAL-MG Sem Estresse” fazem sucesso. “Adoro as indicações no Instagram, que é o meio mais ativo para mim”, salientou a discente Aline Yugawa. (Foto: Reprodução/Facebook UNIFAL-MG Sem Estresse)

O Departamento de Promoção e Prevenção também contou com a parceria de outros programas já existentes, especialmente de Extensão, como o “UNIFAL-MG Sem Estresse”, parceiro desde 2019. Dessa colaboração, alguns dos projetos desenvolvidos no decorrer de 2020 foram o “Mostra de Talentos”, com a participação de 564 discentes, 6.681 curtidas e 113 comentários nas mídias sociais; “Em Busca do Equilíbrio”, com atendimentos a 3.006 universitários; e “Intervalo”, o qual, a fim de oferecer apoio para a aprendizagem e integração dos estudantes de graduação, contou com 704 visualizações, até dezembro de 2020, no canal do Youtube. 

Entre as novas parcerias, o Eixo Pedagógico pôde contar com oficinas de escrita acadêmica, leitura e produção textual, coordenadas pelo técnico administrativo Geraldo José Rodrigues Liska, bem como com o projeto “Intervenções Pedagógicas”, sob a coordenação da técnica administrativa Amanda Rezende Costa Xavier, a fim de oferecer serviço de orientação educacional no campus Poços de Caldas.

“No DPP, a nossa preocupação foi no sentido de amparar os discentes por meio de lives e oficinas sobre gerenciamento do tempo, sobre o uso da ferramenta Moodle e outras. Nesse sentido, não ficaram de fora as atividades culturais. Todas as propostas tiveram como objetivo proporcionar uma forma de convivência entre os estudantes, o diálogo constante com professores, técnicos e convidados, para facilitar o desenvolvimento integral dos acadêmicos”, finalizou a Profa. Paula da Costa Souza.

Para saber mais sobre a Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis, confira este endereço eletrônico.

O Relato Integrado 2020 está disponível neste link.

Copy link
Powered by Social Snap