UNIFAL-MG na mídia: confira as notícias semanais

As ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19 realizadas pela UNIFAL-MG vem ganhando repercussão na imprensa regional. Diante disso, a Diretoria de Comunicação Social preparou um resumo das participações de docentes em entrevistas e de reportagens. Confira no “UNIFAL-MG na Mídia”:

Professor da UNIFAL-MG participa de bate-papo sobre iniciativas públicas e inovação

É fato que a pandemia possibilitou transformações sociais, culturais e econômicas no Brasil. Com base nisso, o professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da UNIFAL-MG, Hélio Costa, participou de um bate-papo sobre inovação e iniciativas para enfrentar a crise, com Police Neto, vereador de São Paulo, no canal do Youtube da plataforma “Shawee”.

Os assuntos discutidos contemplaram desde as mudanças causadas pela pandemia, que concretizaram transformações digitais em empresas privadas e instituições públicas, até os novos modelos de cidades inteligentes, pensadas de modo a retirar as barreiras dos cidadãos, como a falta de segurança, de transporte e de infraestrutura.

“Não é algo fácil fazer inovação na Administração Pública, por conta do risco, porém toda inovação, além do risco, tem o período de perturbação, o qual acaba impulsionando várias inovações. Esse é um momento de extrema perturbação. No futuro, teremos uma nova normalidade”, disse o Prof. Hélio Costa.

Quer saber mais? Confira o bate-papo completo abaixo:

Disponível no link: https://www.youtube.com/watch?v=QISiZGsqLUg

Rádio Vanguarda lança podcast com a participação do reitor da UNIFAL-MG 

A Rádio Vanguarda de Varginha gravou, no dia 14/04, um podcast com o reitor da UNIFAL-MG, Prof. Sandro Amadeu Cerveira, no qual são apresentadas as ações tomadas pela Universidade, como o cancelamento do Regime Especial de Estudos, e as iniciativas de combate à pandemia, como a produção de máscaras e de álcool em gel 70%.

“Logo que foi decidida a suspensão das atividades presenciais, a UNIFAL-MG determinou a oferta das disciplinas em regime mediado pela tecnologia, num sistema que chamamos de Regime Especial de Estudos. Essas atividades aconteceram positivamente, mas uma série de dificuldades operacionais aconteceu”, disse.

Segundo o Prof. Sandro, como não foram registradas condições iguais para todos os discentes, a UNIFAL-MG optou pela suspensão do Regime Especial de Estudos e do calendário acadêmico. “Isso significa que, assim que passar a pandemia e que as atividades presenciais retornarem, o calendário será retomado e as disciplinas serão retomadas a partir do ponto em que foram paralisadas. Todas as atividades que os alunos fizeram durante esse período serão validadas”, salientou o reitor.

No podcast, fala-se, também, da parceria entre a UNIFAL-MG e a FACEPE. “Essa parceria se justifica na medida em que a Universidade, para fazer uma série compras, está sujeita a uma série de legislações que tornam isso mais difícil. Às vezes, uma empresa tem um produto, por exemplo, tem álcool absoluto que gostaria de doar para transformar em álcool 70%. Nós temos o equipamento e os profissionais e, se a empresa fizer a doação, nós conseguimos entregar rapidamente à comunidade”, finalizou o reitor.

Confira o podcast completo neste link. 

Cuidados contra o coronavírus e saúde coletiva são temas de entrevista com docente da Universidade

A professora da Escola de Enfermagem da UNIFAL-MG, Simone Albino da Silva, participou de uma entrevista no jornal da TV Grava, de Alfenas, no dia 17/04, e falou sobre os cuidados necessários durante a pandemia, como a higienização de produtos e máscaras, e a importância de se manter a qualidade de saúde individual e em família neste período.

Na oportunidade, a docente explicou que é necessário manter uma rotina planejada, de modo a organizar as saídas necessárias durante a semana, como a ida à farmácia, ao supermercado e aos postos de gasolina. “É necessário fazer um roteiro, sair preparado com álcool em gel, usar os cuidados de afastamento. Ao chegar em casa, descartar as embalagens e lavar, o que for possível, com água e sabão. Não colocar sacola de supermercado direto na pia. Depois, lavar a mão e trocar roupa”, disse.

As máscaras também foram um dos assuntos discutidos na entrevista. Segundo a docente, existem, basicamente, três tipos: as máscaras cirúrgicas, as máscaras N-95 e as máscaras caseiras, que são indicadas pelo Ministério da Saúde e que passarão a fazer parte do dia a dia das pessoas. “Mas, mesmo assim, não é só usar a máscara: tem que ter o descarte correto e o uso correto. Antes de colocá-las e antes de tirá-las, tem que lavar as mãos com água e sabão. Tem que tirar pela alça de elástico que vai atrás da orelha. Imediatamente ao retirar, não é correto largá-la jogada no sofá, na penteadeira. Tem que colocá-la em solução de água sanitária, por 30 minutos, para fazer a descontaminação”, explicou a Profa. Simone Albino.

De acordo com professora, a limpeza dos celulares e brinquedos são outras medidas de prevenção. Para falar sobre essas questões, ela mostrou como se faz uma solução caseira de 0,1% hipoclorito de sódio ou, como se conhece, de água sanitária. “E a gente não precisa gastar 5 litros de água sanitária por semana para limpar a casa. Eu não posso usar esse produto puro na limpeza das superfícies, e a água sanitária do supermercado tem uma concentração de 2,5%. A gente pega uma xícara de café pequena, de 50 ml, e pega 25 ml de água sanitária. Depois de misturar, pode colocar no balde para limpar a máscara”, explicou a docente.

Confira a reportagem completa neste link.

Farmacêutica da UNIFAL-MG fala sobre terapias complementares 

A farmacêutica Daniela falou sobre terapias complementares no jornal da TV Grava, de Alfenas, no dia 20/04. Na oportunidade, a docente respondeu às perguntas dos internautas sobre a eficácia das terapias em relação à ansiedade, ao emagrecimento, a dores corporais, como a cefaleia e a dor na coluna, e à TPM.

“Até pouco tempo, falava-se em terapias alternativas, mas muitas pessoas substituíam o tratamento médico por essas terapias, e a gente não vê por esse ângulo. Elas são complementares, pois não podemos abandonar o tratamento médico para usar um fitoterápico. Este é um complemento”, explicou.

Entre os exemplos, a docente destacou a fitoterapia, a homeopatia, a acupuntura e auriculoterapia. “Hoje, a gente pode tratar todas as patologias com as terapias complementares, desde a dor até a ansiedade, a uma dor na coluna. Existem estudos até para aumentar a imunidade”, disse.

Confira a reportagem completa neste link.

Economista da UNIFAL-MG participa de jornal da região e indica site de artigos criado por docentes da Universidade

No dia 22/04, o professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da UNIFAL-MG, Fernando Batista Pereira, participou do “Jornal Cidade”, a fim de apresentar a página de artigos recentemente criada por docentes da Instituição.

Na matéria, o professor Fernando Pereira disse que a intenção é apresentar análises em linguagem mais acessível, de forma que todos possam entender os impactos da crise. “Nele, são feitas análises dos impactos econômicos, sociais, ambientais, antropológicos e culturais em decorrência da Covid-19”, explicou.

A página “Análise: no contexto da pandemia!” contém artigos de servidores e discentes da UNIFAL-MG.

Confira a participação completa neste link.

Sistema Sentinela passará por mudanças; pró-reitor da UNIFAL-MG explica o assunto em entrevista na TV Grava

Na última quinta-feira (23/04), o professor do Instituto de Ciências Humanas e Letras e pró-reitor da Prace (Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis), Wellington Ferreira Lima, participou de uma entrevista no jornal da TV Grava, de Alfenas, a fim de comentar as ações desenvolvidas pela UNIFAL-MG durante a epidemia. Entre os assuntos discutidos, o docente destacou a produção de álcool em gel 70% e de faceshields, bem como a cessão dos prédios em Varginha e a mudança de uma ferramenta de monitoramento dos casos da Covid-19: o sistema Sentinela.

Criado para o acompanhamento contínuo da comunidade universitária, após a suspensão das aulas presenciais, o sistema coletava informações de docentes, discentes e terceirizados, caso apresentassem sintomas similares à gripe. “A gente construiu um sistema relativamente simples, em que nós colocamos o número de WhatsApp à disposição da nossa comunidade. Nós pedíamos que entrassem em contato conosco e conversávamos para saber o dia em que começaram a sentir os sintomas, se frequentaram festas, se moram em república, se usaram transporte de uma cidade para outra. Essas questões eram importantes para  desenhar um mapa, para saber quando tinha adquirido a doença”, explicou o Prof. Wellington Ferreira.

Na entrevista, o docente salientou, no entanto, que o primeiro ciclo do sistema Sentinela se encerrou. “Agora, nós vamos começar a construir um grande banco de dados, a partir de amanhã, com servidores, alunos e colaboradores que estão nas mais diversas cidades, para saber como eles estão, se apresentaram sintomas, se não apresentaram, para comparar com os boletins epidemiológicos da nossa região e dessas cidades onde os grupos estão. Só assim a gente vai conseguir entender como essa doença está acontecendo e como a Universidade pode se comportar”, disse o docente, que ainda salientou a necessidade do controle de fluxo de pessoas no município de Alfenas e nas cidades próximas, com base em dados científicos.

O pró-reitor ainda reforçou a importância de a população seguir as recomendações de profissionais da saúde, como lavar bem as mãos e usar os equipamentos de proteção, as máscaras.

Confira a entrevista completa neste link.

Discentes da UNIFAL-MG antecipam formatura para atuar na linha de frente contra a pandemia 

A  UNIFAL-MG realizou a primeira formatura antecipada dos discentes que completaram 75% da carga horária do estágio obrigatório ou internato médico em cursos de graduação da área da saúde. Entre eles, estiveram Maicon Batista Novais (Medicina) e Ana Paula Aparecida Dominicci (Farmácia), que participaram da reportagem exibida pelo jornal EPTV 2ª edição, no dia 24/04.

“[A formatura] é uma oportunidade de poder estar disponível para uma vaga de trabalho, para atuar ou na linha de frente contra a pandemia, ou na saúde básica”, disse Maicon Batista.

O reitor da Universidade, Prof. Sandro Amadeu Cerveira, que esteve presente na solenidade, salientou que a antecipação é uma medida extraordinária. “É uma medida importante, que vai colocar os nossos estudantes, que já estão com capacidade, para contribuir com a sociedade e com a população”, salientou o Prof. Sandro.

Para a realização da formatura, a Universidade seguiu as orientações do combate à pandemia, como o uso de máscara, o distanciamento espacial e a redução no número de convidados. Cada discente levou 4 convidados, e, para quem não pôde ir à formatura, foi feita uma transmissão ao vivo em uma rede social.

A antecipação de formatura para estudantes dos cursos de Medicina, Farmácia, Enfermagem e Fisioterapia integra ações de enfrentamento da pandemia propostas pelo Ministério da Educação.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível também no link: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2020/04/24/alunos-antecipam-formatura-em-alfenas-para-atuar-no-combate-ao-coronavirus.ghtml

Professora da UNIFAL-MG dá dicas sobre o descarte correto de máscaras

O tema da reportagem exibida no dia 24/04, pelo jornal EPTV 1ª edição, com a professora de microbiologia da UNIFAL-MG, Ana Carolina Barbosa Padovan, foi o descarte adequado das máscaras. A orientação da docente é sobre os modos como retirá-las, para evitar a contaminação dos coletores de lixos, e sobre o tempo em que o vírus sobrevive nas superfícies de metal, plástico e papelão.

“Para eu poder jogar fora a minha máscara descartável, eu devo sempre retirá-la por trás, nunca pela frente. Evite tocar na frente dela, na boca, nariz e olhos”, disse a docente, que, na reportagem, demonstrou como realizar o procedimento. “Essa máscara, agora, tem que ir dentro de dois saquinhos, ou seja, um dentro do outro. Eu a coloco com cuidado e vou fechar esse duplo saco. Dou nó e jogo fora em lixo comum, pode ser o seu lixo de banheiro, com tampa”, completou a Prof. Ana Carolina, que salientou a importância de se lavar corretamente as mãos após o descarte da máscara.

Na oportunidade, a professora também falou sobre um estudo recente, o qual identificou a capacidade de sobrevivência do coronavírus. Em superfícies de plástico e metal, o vírus pode se manter por até 3 dias e, em papelão, por até 24 horas. “O estudo científico não testou pano e algodão, mas, como são porosos, acredita-se que [o coronavírus] pode ficar de 12 a 24 horas”, explicou a docente. “Por isso, depois de usar a máscara de pano, você deve deixá-la de molho em uma mistura de água sanitária e água, por 30 minutos, e depois lavar com água e sabão”, finalizou.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível também no link: https://globoplay.globo.com/v/8507041/programa/

Docente da UNIFAL-MG indica soluções para gastos durante a pandemia 

No dia 24/04, o professor do Instituto de Ciências Exatas da UNIFAL-MG, Marcelo Lacerda Rezende, participou, ao vivo, do jornal EPTV 1ª edição, a fim de responder às dúvidas do público sobre gastos durante a pandemia. Entre os assuntos discutidos, o docente salientou a importância de se manter um planejamento financeiro para gerenciar o dinheiro e controlar as despesas neste período.

As perguntas selecionadas destacaram a questão do pagamento de aluguel, de parcelas de contas e do aumento dos gastos em casa, como a energia. Para o professor, a dica é buscar acordos com os negociantes, como parcelamentos ou descontos, e cortar as despesas desnecessárias ou menos importantes. “Colocar tudo na ponta do lápis não é só para agora. É sempre. A gente sempre precisa ter todos os gastos bem documentados”, disse o docente.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível também no link: https://globoplay.globo.com/v/8506922/programa/

Professora da UNIFAL-MG explica importância de higienizar ambientes corretamente 

Durante a pandemia, é necessário higienizar corretamente não só as mãos, mas também objetos e ambientes. A professora de microbiologia da UNIFAL-MG, Ana Carolina Barbosa Padovan, demonstrou, em reportagem exibida no dia 27/04, no jornal EPTV 1ª edição, como lavar embalagens de supermercado, alimentos, chaves e celulares.

No primeiro exemplo, a professora fez uma solução com uma parte de água sanitária para nove partes de água, a fim de limpar as superfícies dos produtos que chegam dos supermercados. “Se não tiver água sanitária, pode usar água com sabão ou álcool em gel. A gente umedece o pano e, nas embalagens plásticas, higienizamos todas as partes. Nas embalagens que são de plástico mais mole ou de papel poroso, como as farinhas, a gente higieniza e transfere o pó para dentro de outra embalagem”, disse a docente.

A mesma ação foi feita com as frutas, que podem estar dentro de sacos contaminados. “Aqui, eu tenho uma maçã. Eu vou retirar a maçã de dentro do saquinho, passar uma água para tirar o excesso da sujeira e, depois, vou deixar a maçã numa solução de água sanitária e água, sendo uma colher de sopa de água sanitária para cada litro de água”, explicou. O tempo em que a fruta deve ficar na solução é de 15 minutos, conforme a Prof. Ana Carolina.

No final da reportagem, a docente ainda explicou como limpar chaves, maçaneta e celulares, além de mostrar como descartar corretamente as máscaras.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível também no link: https://globoplay.globo.com/v/8512338/programa/

Projeto da UNIFAL-MG auxilia o município de Alfenas com a doação de máscaras

Mais de 1.000 máscaras foram doadas pelo projeto “Máscaras que abraçam” à Santa Casa de Alfenas. Essa iniciativa da UNIFAL-MG, feita em parceria de costureiras do município de Alfenas, foi tema do jornal EPTV 2ª edição exibido no dia 27/04.

“O projeto das máscaras surgiu da demanda por equipamentos de proteção individual de alguns profissionais que trabalham com saúde na área pública”, explicou a professora do Instituto de Química da UNIFAL-MG, Mariane Gonçalves Santos.

Até o momento, o projeto, que começou com 13 costureiras, já atingiu o número de 25 voluntárias e doou equipamento de segurança para a UTI infantil e neonatal da Santa Casa de Alfenas, com o objetivo de atender aos profissionais da limpeza, aos técnicos de enfermagem e aos pais que acompanham as crianças.

De acordo com a reportagem, a produção continua diariamente e as doações de matéria-prima serão bem-recebidas. “Nós trabalhamos com TNT, tricoline, elástico e linha. Essas máscaras são confeccionadas de acordo com a recomendação da OMS, por isso têm boa cobertura do nariz e boca, são feitas de tecido duplo e intercaladas com TNT”, finalizou a docente Mariane Gonçalves.

Confira a reportagem completa abaixo:

Disponível também no link: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2020/04/27/projeto-ja-repassou-mais-de-1000-mascaras-para-santa-casa-de-alfenas.ghtml

*Milena Favalli Simão é estagiária da Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap