UNIFAL-MG seleciona propostas para incubadora de empresas de base tecnológica em Alfenas e Poços de Caldas; aprovados recebem apoio para colocar as ideias inovadoras em prática

“Ideias fantásticas a maioria das pessoas têm. Tirá-las do papel e torná-las realidade de forma organizada e sustentável, é o mais difícil”. Essa reflexão, do empresário Marcelo de Souza Nogueira, sintetiza uma dificuldade comum no mudo dos negócios: sair do campo das ideias e empreender. Nesse sentido, o incentivo público é fundamental e a UNIFAL-MG, por meio da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (NidusTec), abre oportunidades para o empreendedor “tirar a ideia do papel” pelo Programa de Incubação de Empresas. Confira os requisitos e documentação necessária em: Programa de Incubação.  

Na NidusTec, o empreendimento incubado tem direito a uma sala individual e de utilizar salas de reuniões, auditórios, biblioteca e espaço maker com equipamentos para desenvolvimento de produtos e serviços. O empreendedor também recebe orientações sobre plano de negócios, depósito de patentes, registro de marcas e outras modalidades de propriedade intelectual além de consultorias nas áreas jurídica, financeira, mercadológica, contábil, administrativa e outras.

Marcelo Nogueira é fundador da Altercard, empresa graduada pela NidusTec, em 2020. (Foto: Arquivo Pessoal/Marcelo Nogueira)

O empresário Marcelo Nogueira participou do processo de incubação, em março de 2019, com a sua ideia e hoje está com sua empresa Altercard, responsável pela plataforma Paghtos, no mercado. “O processo de incubação nos trouxe experiências e conhecimentos valiosos. Durante o processo fomos conectados a metodologias e estratégias utilizadas pelas principais startups do país, nos trazendo resultados que fizeram a diferença. Isso encurtou bastante nosso processo de tentativa e erro”, explicou para a equipe da Diretoria de Comunicação Social.

De acordo com o programa, esse suporte contribui com o desenvolvimento e maturação da empresa incubada, assegurando um nível mais elevado de sobrevivência das empresas em um mercado cada vez mais competitivo. “Temos muitas pessoas que têm todas as características para empreender, com ideias e soluções fantásticas para implementarem em nossa região. O que falta muitas vezes é apenas apoio e incentivo”, ressaltou Marcelo Nogueira, da Altercard.

O professor Flávio Gonzaga é sócio-fundador da SeachOnMath, empresa incubada na UNIFAL-MG. (Foto: Arquivo Pessoal/Flávio Gonzaga)

O cientista da computação Flávio Barbieri Gonzaga, professor do curso de Ciência de Computação da UNIFAL-MG, destaca que a NidusTec foi essencial para a sua startup, a SearchOnMath. A empresa desenvolveu uma ferramenta capaz de buscar fórmulas matemáticas, além de textos. Segundo ele, a incubação foi uma forma de aperfeiçoar o modelo de negócios e receber treinamento especializado mantendo um baixo custo operacional.

Em sua avaliação, Flávio Gonzaga analisa a importância da incubadora como espaço de networking e possibilidade de contribuição para o desenvolvimento regional. “O ambiente da incubadora coloca o empreendedor em contato com outras empresas, eventos e potenciais clientes. Este ambiente contribui muito para o rápido crescimento da empresa e fomenta o empreendedorismo regional”.

Segundo o economista André Teixeira, o aprendizado é fundamental para as empresas de base tecnológica. (Foto: Arquivo Pessoal/André Teixeira)

O economista André Luiz da Silva Teixeira, professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), aponta que o insucesso quando se trata sobre inovação é bem comum. “É o resultado da incerteza própria desses negócios de base tecnológica, pois quanto maior o grau de novidade buscado pela empresa, maior a incerteza enfrentada por ela, seja quanto à própria tecnologia ou ao mercado”, explicou.

E, diante dessa incerteza, conforme o docente, o papel da incubação é ainda mais importante. “O sucesso da empresa depende da capacidade dela em aprender e de se adaptar rapidamente às mudanças exigidas pelo mercado. É aprender sobre o negócio, sobre o produto, compreendendo, inclusive, quando mudá-los de uma forma mais forte. Por isso, as consultorias são tão relevantes, principalmente, para empresas de base tecnológica”, finalizou o economista.


Como participar do Programa de Incubação

Para ter a empresa incubada nas incubadoras da UNIFAL-MG, em Alfenas e Poços de Caldas, o empreendedor deve submeter uma proposta conforme regras e critérios disponíveis nos editais.  No período de inscrição e seleção, não há necessidade de formalização da empresa. Dessa forma, podem participar pessoas físicas e jurídicas.

As propostas devem apresentar, obrigatoriamente, o caráter de inovação e estarem alinhadas à “introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo e social que resulte em novos produtos, serviços ou processos ou que compreenda a agregação de novas funcionalidades ou características a produto, serviço ou processo já existente que possa resultar em melhorias e em efetivo ganho de qualidade ou desempenho”, conforme o inciso IV, do art. 2º, da Lei nº 10.973/2004, a Lei de Inovação

Sobre a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica

A NidusTec é vinculada à Agência de Inovação e Empreendedorismo (I9) da UNIFAL-MG. Além da incubadora, a I9 é responsável pela Política de Inovação da Universidade, proteção da propriedade intelectual (patente, marca, programa de computador e indicação geográfica) e transferência de tecnologia. A Agência integra a Rede Mineira de Propriedade Intelectual (RMPI), associação que apoia e auxilia na implantação, gestão e desenvolvimento dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) junto às Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT) de Minas Gerais.

Sabia mais sobre a Agência de Inovação e Empreendedorismo da UNIFAL-MG  na página: I9/UNIFAL-MG

Copy link
Powered by Social Snap