Professor da Faculdade de Medicina da UNIFAL-MG assume direção científica da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor

“Há muito o que fazer e é justamente isso que me fez aceitar o desafio de ser diretor científico da SBED nos próximos dois anos. Vejo um vasto caminho pela frente e muitas possibilidades”, ressaltou o professor Carlos Marcelo de Barros, da Faculdade de Medicina da UNIFAL-MG, ao assumir a Diretoria Científica da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED) para o biênio 2021/2022. O médico é especialista em estudos da dor e docente das disciplinas de clínica cirúrgica. 

De acordo com o novo diretor científico, o Brasil ainda precisa avançar no tratamento da dor. “Devemos primeiro continuar o excelente trabalho que a SBED já vem realizando nos últimos anos, e mantermos a consciência que ainda temos um longo caminho para percorrer em busca de país onde todos os pacientes tenham acesso garantido ao tratamento da dor”, destacou Carlos Marcelo.

Carlos Marcelo de Barros é professor da Faculdade de Medicina da UNIFAL-MG (Foto: arquivo pessoal/Carlos Marcelo de Barros)

Segundo ele, é a primeira vez que um profissional de instituição do interior do país ocupa o cargo de diretor científico na SBED, que é a principal entidade de estudos da dor no Brasil. A SBED representa médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, dentistas e outros profissionais atuantes no tratamento de pacientes com dor, e é considerada a terceira maior entidade do mundo em número de associados. “Além do reconhecimento dos profissionais, ser eleito diretor científico carrega consigo uma enorme responsabilidade, pois ainda temos um longo caminho para termos um Brasil sem dor”, completou.

A participação na SBED, conforme o professor Carlos Marcelo, pode contribuir com o fomento à pesquisa sobre o tema na UNIFAL-MG.  “Por ser uma sociedade de âmbito nacional e até internacional, teremos mais condições de fomentar e apoiar estudos científicos dentro da universidade federal do qual sou professor”, relatou à Dicom. Ele aponta que várias pesquisas foram desenvolvidas na Universidade e espera um aumento dos estudos nos próximos anos.

“O diretor científico de uma instituição claramente científica como a SBED deve atuar como um catalisador da ciência seja no apoio institucional à pesquisa, assim como os eventos de educação continuada como simpósios e congressos”. O professor Carlos Marcelo enfatiza que, no Brasil, ainda não se trata adequadamente a dor dos pacientes. “Nossa missão será contribuir para mudar esse paradigma! Uma tarefa enorme que precisa ser construída passo a passo e de maneira contínua”.

A professora Evelise Aline Soares, diretora da Faculdade de Medicina, lembra que o professor Carlos Marcelo é a principal referência do curso de Medicina no ensino dos cuidados paliativos e dor. “O professor tem reconhecimento nacional no estudo da dor, possui várias orientações de trabalhos acadêmicos e publicações na área, além do pioneirismo por trazer para Alfenas-MG umas das primeiras residências médicas em Dor do país”, relatou. Comemorando a conquista do docente, Evelise Soares completa: “A Famed parabeniza o professor e deseja um brilhante trabalho como Diretor Científico da SBED”.

Além da proposta de incentivar a pesquisa no campo da dor, uma das pautas do novo diretor científico é a realização do 16º CBDOR (Congresso Brasileiro de Dor), previsto para 2023. Saiba mais sobre a Sociedade Brasileira para Estudo da Dor em SBED.

Colaboração: Carlos Marcelo de Barros

Copy link
Powered by Social Snap